Trabalhadores temem não receber auxílio emergencial do governo

O anúncio do pagamento da segunda parcela do Auxílio Emergencial de R$ 600 que começou a ser paga na ultima segunda-feira (18), preocupa muitos trabalhadores que ainda não tiveram acesso à primeira parcela do benefício. A dificuldade ao realizar o cadastro, e erro ao baixar e utilizar o aplicativo estão entre os problemas relatadas pelos beneficiários.

Conforme a Caixa Econômica Federal, os trabalhadores que fizeram a solicitação do auxílio e ainda não receberam devem aguardar a análise do pedido, realizada pelo Dataprev (Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência Social). Até o momento, cerca de 1,5 milhão de requerimentos ainda estão sendo processados e outros 4,19 milhões devem começar nos próximos dias.

A Caixa informou que mais 8,3 milhões de beneficiários devem receber o auxílio entre os dias 19 e 29 de maio. O que corresponde a um total de mais R$ 5,3 bilhões nas contas indicadas no momento da inscrição. De acordo com o balanço da instituição, cerca de 50,4 milhões de brasileiros já receberam o crédito do benefício, ou seja, um em cada três adultos. Ao todo, mais de R$ 35,8 bilhões já foram creditados (incluindo os créditos que ocorrem desta sexta para sábado). 

Muitos que continuam com o pedido em análise estão preocupados temendo ficar de fora. Mãe de uma filha de três anos, a esteticista Juliana Araújo, 26,  reclama da demora. Com as atividades do salão onde trabalha paradas tentou fazer o cadastro no dia 7 de abril. Em três tentativas, foram três as inconsistências nos dados informados.  A primeira vez, acusou que foi utilizado o CPF do mesmo dependente. Na segunda tentativa acusou que ela havia informado o CPF do dependente, ou o sexo feminino ou masculino não esclarecido. E na última, refeita  no sábado novamente informou o CPF do dependente, e foi para análise.

“Eles passam uns 15 dias para dar um  retorno. Está muito difícil. Preciso pagar aluguel, tem que arcar com as contas do mês, o pouco que eu tinha guardado, que foi o que eu faturei no mês de março, já acabou”. Ela teme que o anúncio da segunda parcela trave ainda mais o acesso de quem sequer conseguiu receber a primeira.

Dificuldades

Pai de três filhos, o autônomo, Pedro Cícero, 49, torce para que consiga estar no lote dos beneficiários que devem receber o benefício nos dias estimados pela Caixa. “Meu dados estavam inconclusivos. Demorei para ter uma resposta e só consegui uma resposta quase um mês depois”. 

Enquanto o benefício não chega, o ajudante de marcenaria, Diogo Oliveira,30, tem sentindo na pele a dificuldade que faz ter uma renda. Afastado do trabalho há cerca de dois meses, tem contado com a ajuda dos pais para conseguir se manter e sustentar o filho. “Eu nunca imaginei passar por isso. É uma vergonha. Eu sempre vivi de bicos. Quando consegui me firmar num trabalho, a pandemia aparece. Isso é um pesadelo”, desabafa.

Aprovação

No último dia 15, o presidente da Dataprev, Gustavo Canuto, explicou que a demora para liberar os benefícios aconteceu devido à complexidade do processo de checar dados em 17 bases de dados do governo, como a Receita Federal, Secretaria de Trabalho do Ministério da Economia e Justiça.

Cerca de 8,3 milhões de brasileiros que haviam pedido o auxílio emergencial de R$ 600 (R$ 1,2 mil para mães solteiras) tiveram o benefício aprovado na madrugada da sexta-feira (15). A lista de novos beneficiários foi repassada à Caixa Econômica Federal, que liberará cerca de R$ 5,3 bilhões nos próximos dias, conforme texto  publicada pela Agência Brasil.

Segundo o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, a liberação será gradual para evitar filas e aglomerações nas agências. A partir das 18h, quem estava com o benefício em análise receberá a confirmação no aplicativo Caixa Emergencial ou no site auxilio.caixa.gov.br se teve o auxílio liberado

Esses 8,3 milhões de cidadãos receberão o benefício em espécie nas seguintes datas: 19 de maio (terça-feira) para nascidos em janeiro, 20 de maio (quarta-feira) para nascidos em fevereiro, 21 de maio (quinta-feira) para nascidos em março, 22 de maio (sexta-feira) para nascidos em abril e 23 de maio (sábado) para nascidos em maio, junho e julho.

O pagamento da primeira parcela continua na semana seguinte: 25 de maio (segunda-feira) para nascidos em agosto, 26 de maio (terça-feira) para nascidos em setembro, 27 de maio (quarta-feira) para nascidos em outubro, 28 de maio (quinta-feira) para nascidos em novembro e 29 de maio (sexta-feira) para nascidos em dezembro. Segundo Guimarães, beneficiários que nasceram em um mês superior ao da data de saque não poderá retirar o dinheiro num dia anterior.

"Nós entendemos a necessidade de todos e não faltou dedicação para fazer chegar o Auxílio Emergencial a 59 milhões de brasileiros. Foi feito neste período de pouco mais de 45 dias a maior bancarização e transferência de renda que se tem notícia em toda a história do Hemisfério Sul", destacou o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, na coletiva de imprensa desta sexta-feira no Palácio do Planalto.

Balanço

O balanço da Dataprev até 30 de abril mostra que foram processados os cadastros de 112.559.202 de CPFs, o que representa 95,2% do total. Foram considerados elegíveis 59.291.753 cidadãos, enquanto 36.858.102 foram classificados como inelegíveis e 16.409.347 cadastros estão inconclusivos. Outros 1.535.126 (1,3%) de solicitações estão em processamento e 4.197.126 (3,5%) aguardando.

Até esta quinta-feira (14.05), o site auxilio.caixa.gov.br superou a marca de 875,6 milhões de visitas e a central telefônica 111, para tirar dúvidas, registrou mais de 161,8 milhões de ligações. O aplicativo do Auxílio Emergencial teve 82,8 milhões de downloads, e o aplicativo Caixa Tem, para movimentação da poupança digital, mais de 89,3 milhões de downloads.

De acordo com dados divulgados pela Dataprev, somando todos os públicos (os que se inscreveram pelo aplicativo, os do Bolsa Família e os do CadÚnico), 97 milhões de cadastros passaram por análise de elegibilidade e foram homologados pelo Ministério da Cidadania.

Segunda parcela

A Caixa Econômica Federal começa a pagar a segunda parcela do benefício. O pagamento será para todos aqueles que receberam a parcela primeira parcela até 30 de abril. Esta segunda etapa será realizada de acordo com calendário publicado nesta sexta-feira (15) pelo Ministério da Cidadania. 

As datas foram definidas de modo a aprimorar o pagamento e evitar concentração nos meios digitais e aglomerações nos pontos de atendimento. O calendário traz escalonamento para os grupos de beneficiários – elegíveis do Bolsa Família, CadÚnico e inscritos pelo app/site –, bem como para antecipação do crédito para movimentação digital e para saque em espécie conforme mês de nascimento

Fonte: Andreia Leite

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email