Tolmasquim diz que noventa dias são suficientes para discutir pré-sal

O presidente da EPE, Mauricio Tolmasquim, disse que o período de 90 dias, dentro do regime de urgência pedido pelo governo ao Congresso, é suficiente para as discussões sobre mudanças no projeto do pré-sal enviado ao Legislativo

O presidente da EPE (Empresa de Pesquisa Energética), Mauricio Tolmasquim, disse que o período de 90 dias, dentro do regime de urgência pedido pelo governo ao Congresso, é suficiente para as discussões sobre mudanças no projeto do pré-sal enviado ao Legislativo.
“A indústria tem dado opiniões e poderá dar agora, no Congresso. Noventa dias é um tempo razoável para se fazer alterações, se necessário. Pode haver bastante discussão nesse período”, afirmou, depois de participar de seminário sobre energias renováveis, promovido pela Apimec-Rio (Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais).
Para ele, o pré-sal já foi amplamente discutido por meio de notícias divulgadas pelos jornais, apesar de o governo ter mantido os debates sobre as novas regras na esfera da comissão interministerial, que não tinha qualquer representante da indústria do petróleo, com exceção da Petrobras. “A imprensa noticiou tudo praticamente antes, e o que saía nos jornais era acompanhado de comentários dos especialistas. O debate está ocorrendo há muito tempo”, ponderou o executivo, que fez parte da comissão que formulou a proposta.
Ao fazer a defesa do modelo proposto pelo governo, Tolmasquim lembrou que a comissão que discutiu o pré-sal priorizou o desenvolvimento do país, a reboque da exploração na promissora área petrolífera. O debate sobre o possível afastamento de investidores com o novo modelo ficou em segundo plano, comentou.
“O objetivo não é sair explorando petróleo desordenadamente”, observou.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email