Terreno fértil para networking

Com a ideia de promover um espaço para discutir, aprender e gerar networking, alunos das disciplinas Empreendedorismo e Inovação, do curso de Administração, da Ufam (Universidade Federal do Amazonas), realizam a 2ª Semana Acadêmica de Empreendedorismo com o tema “Mapeando o Empreendedorismo e a Inovação na Ufam”. O evento segue até esta sexta-feira (2), contando com a participação de empresas, atores e formadores de opinião na área de empreendedorismo e inovação da Amazônia.
De acordo com o coordenador e professor Irineu Vitorino, o evento tem como objetivo permitir a conexão, divulgar as atividades pertinentes, além de promover a sinergia entre os atores de empreendedorismo e inovação da comunidade acadêmica da Universidade. Ele explica que, o encontro é uma forma de ensinar aos interessados sobre conhecimento compartilhado e organização de empresas. “A ideia é difundir o empreendedorismo e para isso trouxemos empresários, investidores, agências de fomento, professores, incubadoras, institutos, entre outros para falar sobre o tema, cada qual em sua especificidade”, disse. O evento acontece na Faculdade de Estudos Sociais, no setor norte do campus da Universidade com vários eventos simultâneos.
Os mais de 750 credenciados desta edição, podem se dividir entre palestras, oficinas, dinâmicas, amostras de filmes, mesas-redondas, painel executivos e exposições de temas como empreendedorismo universitário, feminino, social, empreendedorismo em tempos de crise, economia criativa, mídias sociais, entre outros. Segundo organização, a ideia é que as pessoas envolvidas com empreendedorismo e inovação da comunidade acadêmica tenham um espaço para discutir, aprender e gerar networking. Para Vitorino, trazer o mercado do empreendedorismo para debate nas faculdades é importante para difundir o assunto, permitindo assim, que bons projetos sejam desenvolvidos e futuramente investidos. Segundo ele, países considerados de primeiro mundo já investem em pesquisas e tecnologias das universidades. “Nos EUA, a universidade de Stanford representa 30% do PIB americano, porque lá investiram em projetos que foram criados pelos alunos e viraram grandes empresas. Seguindo esse exemplo, começamos a ir atrás de quem tinha empreendedorismo aqui para trabalhar isso na cadeia, quem sabe essa pesquisa vira artigo científico, depois vira um CNPJ e enfim uma empresa. Vamos empreender com inovação e criatividade porque o mundo está investindo em tecnologia e o Amazonas não pode ficar para trás”, argumenta o coordenador, acrescentando que existem investidores no mercado, mas faltam bons projetos. “O evento empreendedor gera renda e receita, se for tecnologia gera riqueza”. Sobre as dificuldades enfrentadas para quem quer empreender no Amazonas, Vitorino conta que, o Estado ocupa a quarta colocação em termos de rapidez na abertura de novos empreendedorismos. “Alguns governos já acham isso importante e o nosso é um deles, que não vê o empresário como inimigo, pelo contrário ele é gerador de emprego e renda. E eles estarão no último dia do encontro, falando quais são as atitudes tomadas para facilitar o empreendedor”, afirma.

DIA 31.08.16

9h “Desenvolvimento Empresarial e Tecnológico” Incubadora CDTECH
9h40 “Desafios e Oportunidades de Empreender ainda na Universidade” Onisafra – Macaulay/SEBRAE
10h Oficina “Emprelnove: Dinâmica com lego”
11h “Empreendedorismo Feminino” *Mary Koifman (Escola de Você) *Mayara Cansanção (Mulheres em Conexão)
15h Oficina: Análise financeira e viabilidade de projetos – prof. Aristides Oliveira
16h Mesa-Redonda “Empreendedorismo e Inovação”:
17h Oficina: Carreira e Propósito – Clarissa do MEU
18h30 Bate-Papo sobre Mídias Digitais com Diego Araújo do “Na Parada” Diego Araújo
“CASE: Toque de Neon” Carol Heirichs
19h Oficina do Canvas – Prof. Emanuel Carlos
20h Encerramento

Inovação em processos

O evento contará com convidados externos atuantes no cenário empreendedor e de inovação da região, incubadoras, startups, aceleradores, Agência de fomento, investidores e empresários. Um dos palestrantes do primeiro dia, o professor da Ufam, Afrânio Soares trouxe para o público presente o tema “Inovação em Processos no Amazonas”. Ele demonstrou como uma pesquisa eleitoral local teve que renovar seus processos para cumprir nova demanda do mercado.
“O instituto Action, em 2006 tinha um tempo padrão de aproximadamente 22 dias para conseguir realizar pesquisas eleitorais simultâneas em todos os municípios do Amazonas. Naquela época parecia ser um prazo muito bom, mas com as exigências do mercado fez com que esse tempo fosse reduzido pela metade e para isso acontecer, sem perder consistência, qualidade e credibilidade o processo teve que ser reinventado.
Vamos trazer para o público um pouco dessa questão de processo que pode ajudar muito o negócio que já é bom, mas que pode ficar melhor”, explica. Para Soares, empreendedorismo não é só criar um novo produto, mas igualmente criar um novo processo que faz parte desse universo.
A programação do primeiro dia contou ainda com Startups e Empreendedorismo Universitário da Aceleradora FABRIQ; Oportunidades Acadêmicas do professor Edileno Silva; Workshop Startup Enxuta; Vença a crise superando seus limites, do professor Joselito Santos; Empreendedorismo Sustentável e MB Consultoria, com Bruna Cabral, entre outros. O segundo dia de atividade começa às 8h com o credenciamento dos inscritos no auditório Rio Amazonas, setor norte do campus da Universidade.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email