Terminal Santos Brasil investe US$ 100 mil

O Santos Brasil, maior terminal de contêi­neres da América do Sul, instalado na região portuária do Guarujá (SP), investiu US$ 100 mil em um novo sistema de rede sem fio. Com um cenário de difícil propagação de rede, movimentos de containeres, clima e salidade, entre outros fatores que degradam o sinal, a meta era reformular o sistema já existente, que não atendia às necessidades da empresa.
Para isso, a empresa contou com ferramentas da fabricante de equipamentos de rede Aruba, implantadas pela Synergy Tecnologia em Sistemas. A meta era garantir uma transmissão de dados com qualidade e consistência, utilizando uma estrutura para interconexão, que pudesse lidar com as inúmeras barreiras.
Antes de implantação, a empresa usava uma tecnologia que não era estável e que deixava diversas áreas de sombra, atrasando o andamento das atividades. “Os caminhões que circulam na área e dependem da conexão para receber instruções de operação não conseguiam trocar de ponto de acesso sem perder contato”, afirmou o gerente de TI da Santos Brasil, Ricardo Abbruzzini Filho.
O gerenciamento descentralizado também era um problema. Cada ponto de acesso (AP, da sigla em inglês access point) tinha seu próprio console, o que dificultava um controle adequado e uma visão geral da rede.
Após uma fase de estudos, desenvolvimento, homologação e implantação, que consumiu os US$ 100 mil e quatro meses de trabalho, a empresa pôde contar com uma plataforma mais confiável, integrada e sem sombras de conexão. A companhia instalou pontos de acesso do modelo AP-85, resistentes aos fenômenos naturais, que foram intercalados em duas frequências diferentes para não sofrerem com interferência.
A potência dos equipamentos, no entanto, poderia gerar um problema de segurança, já que foram identificadas outras 30 redes acessíveis no local. Para resolver, a empresa implementou um firewall capaz de bloquear sinais e uma ferramenta de monitoramento que faz um controle proativo das atividades na rede.
Toda a rede é gerenciada por dois controladores Aruba 3400, onde se localiza o sistema de firewall e de detecção de intrusos, que proporcionam um ambiente único de gerenciamento em um dispositivo no CPD da empresa. “O ambiente enxerga todos os sinais, a qualidade, a cobertura, identifica problemas e faz um gráfico em tempo real do que está acontecendo”, conclui ele.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email