7 de dezembro de 2021

Tarifa Social Manauara quer transformar Manaus

As famílias manauenses que vivem em situação de vulnerabilidade social podem obter um desconto de 50% no valor da sua conta de água e esgoto. Esse é o papel da tarifa social, um benefício assegurado por lei a famílias de renda menor, que estejam inscritas no Cadastro Único (CadÚnico) ou em algum programa social do governo federal, como o Bolsa Família, por exemplo. 

No mês de setembro, a concessionária Águas de Manaus lançou uma versão mais flexível do programa, a “Tarifa Social Manauara”, para facilitar o acesso ao benefício.  Com a Tarifa Manauara, a meta é proteger 100 mil famílias, o equivalente a 400 mil pessoas até o primeiro trimestre de 2022, que representará aproximadamente 20% da população com o benefício. Isso transformará Manaus na capital brasileira com a maior parcela de população beneficiada permanentemente com tarifa social.

Desde que passou a atuar na cidade, a Águas de Manaus já promovia a ampliação do acesso à tarifa social. Em três anos, o número de famílias inseridas no programa saiu da casa dos 20 mil para as atuais 75 mil famílias. Uma das pessoas já beneficiadas com a tarifa é Lilaise Magalhães, que mora no Alvorada 3. Moradora há 15 anos do local, ela diz que ter água tratada por um valor acessível só lhe trouxe benefícios. “Minha rotina é acordar cedo, fazer meus trabalhos domésticos e aos fins de semana, preparar e vender comida, com isso necessito de muita água. Depois que a Águas de Manaus veio para cá, beneficiou muita gente, nós não tínhamos água encanada e para tomar banho era uma dificuldade”, relata.

Ainda segundo a moradora, além da água, o benefício da tarifa social tem ajudado na economia doméstica e tem dado mais dignidade. “Além da água tratada, ainda tenho uma economia no meu bolso, que é benefício que eu ganho, da tarifa social, e isso me ajuda muito, inclusive agora tenho o comprovante de residência de água, que é uma coisa que a gente precisa muito, principalmente em bancos e lojas”, completa.

Outra beneficiária da Tarifa Social Manauara é a doméstica Marlene Santos, moradora do bairro Jorge Teixeira, na zona Leste de Manaus. “Moro há 22 anos no beco Vitória, no Jorge Teixeira 2 e já cheguei até a utilizar cacimba para conseguir um pouco de água. Desde que a Águas de Manaus fez um trabalho aqui e instalou um ‘relógio’ (hidrômetro) na minha casa, não tive mais problemas. Consigo até tomar banho de chuveiro de tão forte que a água ficou. Também pago uma taxa que cabe no bolso, que é a tarifa social. Esse trabalho foi uma bênção”, disse.

Doméstica Marlene Santos deixou de usar a cacimba, com o benefício da tarifa que cabe no seu bolso – Foto: Divulgação

Para o diretor-presidente da Águas de Manaus, Thiago Terada, a Tarifa Social Manauara é uma forma de proteger a população mais vulnerável da cidade. “A água tratada é um direito de todos e a Tarifa Social Manauara chega para promover justiça social. Desde que passamos a atuar na cidade, desenvolvemos um trabalho voltado para as pessoas que moram em áreas vulneráveis. Agora, queremos transformar Manaus em referência nesse quesito. Seremos, em breve, a capital com o maior número de beneficiados com a Tarifa Social do país”, destaca.

Benefício

Quem deseja solicitar a Tarifa Social Manauara deve procurar os canais oficiais de atendimento da Águas de Manaus, que funcionam 24 horas por dia. O cliente pode entrar em contato pelo WhatsApp 98264-0464, SAC 0800-092-0195, serviços on-line www.aguasdemanaus.com.br ou aplicativo Águas APP, gratuito para qualquer smartphone.

O interessado precisa apenas estar inscrito no Cadastro Único (CadÚnico), do governo federal, ou em programas sociais como o Bolsa Família. Após a solicitação, as equipes da empresa realizam análise dos dados para a liberação do benefício. A família passará a ter o desconto de 50% no valor da fatura, desde que não ultrapasse o consumo de 15 mil litros de água por mês, o equivalente a 30 caixas de 500 litros de água.

Requisitos

Os requisitos para obter o benefício são: ser cliente da classe residencial; ser titular da ligação de água, proprietário, possuidor legítimo ou inquilino; estar inscrito no Programa Bolsa Família do governo federal ou ter CadÚnico;  possuir ligação de água hidrometrada, sem violação, adulteração ou fraude.

E para quem não tem ligação de água e quer aderir ao programa, é garantida a isenção do valor do serviço da primeira ligação domiciliar, sendo permitida apenas uma ligação por usuário.

Os documentos necessários para o cadastro são o Número de Inscrição (NIS) no Programa Bolsa Família; documentos que comprovem a titularidade da ligação de água; RG e CPF.

Foto/Destaque: Divulgação
Reportagem de Rita Ferreira e Larissa Carvalho

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Anúncio

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email