Tancredo Neves, a noite do destino

Faz trinta anos que Tancredo Neves foi eleito presidente para restaurar a democracia no Brasil.
Viveu os vinte anos de regime militar sempre na oposição, e morreu sem chegar a assumir a presidência. Agora sai sua primeira biografia, de autoria de um grande jornalista, que foi também seu assessor de imprensa na campanha presidencial e testemunhou episódios até hoje não contados.
Tive o privilégio de conhecer Tancredo e de conviver com ele, que inclusive me concedeu sua única grande entrevista para a televisão, já eleito presidente da República. Tancredo era bem-humorado, de bem com a vida, mas permanentemente atento e sempre preocupado com os problemas do país. Ele era um homem de diálogo, entendia-o como inseparável da democracia.
O livro é longo, mas a vida de Tancredo, interrompida tragicamente aos 75 anos, também foi também muito longa, com mais de meio século de atividade política, desde a Revolução de 1930, e com três convocações, como as chama o autor, que valem por vidas inteiras.
Com apenas 43 anos, Tancredo foi Ministro da Justiça de Getúlio Vargas e enfrentou com enorme coragem a tempestade da crise de agosto de 1954, dispondo-se, inclusive, a sacrificar a própria vida na resistência ao golpe contra Getúlio.
Depois, Tancredo, foi primeiro-ministro na experiência parlamentarista de 1961, após a renúncia de Jânio Quadros, cujo objetivo era tornar possível a posse do vice, João Goulart, na presidência.
Como primeiro-ministro, Tancredo não só restabeleceu a legalidade constitucional e as liberdades públicas no país como teve a ousadia de fechar a última base militar estrangeira no Brasil, em Fernando de Noronha, operada pelos Estados Unidos. Isso num dos momentos mais perigosos da Guerra Fria.
Em 1984, Tancredo foi finalmente a escolha indiscutível das oposições para disputar a presidência da República, depois da frustrante derrota da emenda Dante de Oliveira, que restabeleceria a vigência do voto popular, suprimido desde o início do regime autoritário. Tancredo conseguiu transformar uma eleição indireta numa virtual eleição direta, tal o apoio que obteve no meio político e que se expandiu por toda a sociedade brasileira.
Esses episódios são reconstituídos documentadamente, mas também apaixonadamente, pois José Augusto não procura esconder, em nenhum momento, a convicção de que Tancredo Neves foi e continua sendo, por sua coragem e coerência, um dos maiores brasileiros de seu século.

Tancredo Neves: A noite do destino retrata a vida pessoal e, principalmente, a trajetória política do primeiro presidente brasileiro eleito após o regime militar. O jornalista político José Augusto Ribeiro, assessor de Tancredo Neves durante a histórica campanha de 1984, traz a público o resultado de mais de 15 anos de pesquisa. Com base em ampla pesquisa, que inclui farto material bibliográfico, documentos do arquivo pessoal de Tancredo, fotos e entrevistas exclusivas, o autor refez com detalhes os bastidores dos fatos vividos pelo biografado. São 50 anos de história, que começa no Estado Novo, com sua eleição para a Câmara Municipal de São João Del Rey e termina com sua agonia e morte, depois da posse de José Sarney, seu vice e sucessor. Fatos ainda inéditos sobre esse grande líder, como a negociação secreta para a retirada da base militar dos EUA da Ilha de Fernando de Noronha, enriquecem esta biografia de fôlego.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email