10 de abril de 2021

Suspeito de tentativa de atentado em NY foi encontrado pelo celular

Um número de celular pós-pago, “descartável”, foi o que levou os investigadores do FBI ao paradeiro de Faisal Shahzad, paquistanês naturalizado americano, preso na noite de segunda-feira no aeroporto internacional John F. Kennedy, em Nova York

Um número de celular pós-pago, “descartável”, foi o que levou os investigadores do FBI ao paradeiro de Faisal Shahzad, paquistanês naturalizado americano, preso na noite de segunda-feira no aeroporto internacional John F. Kennedy, em Nova York.
De acordo com uma reportagem do site de notícias americano Politico.com, que cita oficiais integrantes da investigação, um número de telefone foi obtido e o rastreamento e checagem com várias bases de dados levou à localização do suspeito.
O jornal “El Pais” informa que tão logo a identidade do suspeito foi encontrada, um grande grupo de agentes do FBI e da polícia de Nova York saiu às buscas, resultando na prisão do cidadão americano de origem paquistanesa quanto tentava embarcar num voo para Dubai, às 23h45 (0h45 no horário de Brasília).
Um exame detalhado do carro, que ficou intacto já que os explosivos não foram detonados, permitiu a identificação de dados que levaram até o local da compra do veículo.
De acordo com o “El Pais”, a ex-proprietária do carro relatou ter vendido o Nissan Pathfinder a um homem de origem “latina ou do oriente médio”, que pagou em dinheiro e não lhe mostrou nenhuma identificação.
A venda foi realizada pela internet, através do site de classificados Craigslist, na cidade de Bridgeport, Connecticut, última cidade onde Shahzad morou antes de sua prisão na noite de ontem.
A rede de TV americana CBS divulgou ontem que o carro foi vendido por US$ 1.300.
Em Washington, o secretário de Justiça Eric Holder anunciou a detenção e afirmou que a investigação prossegue, perseguindo várias pistas. “Mas está claro que a intenção por trás deste ato terrorista era matar americanos”, declarou Holder.
As autoridades também procuram um homem branco de meia idade visto em um vídeo gravado perto do carro-bomba, mas explicaram que o consideram uma “pessoa de interesse” e não um “suspeito”.
O homem foi filmado trocando de camisa por uma das 82 câmeras de vigilância policial antes da divulgação do alerta e da retirada dos milhares de turistas presentes em Times Square, próxima da Broadway.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email