7 de dezembro de 2021

Sorria, faz bem pra alma e contagia…

A jovem era muito linda. Entrou no avião e começou a buscar com os olhos um lugar especial. Poucos passageiros haviam adentrado e havia muitos lugares vagos. Ela parecia não estar satisfeita com a poltrona que lhe fora previamente marcada. Finalmente, olhou para um senhor de cerca de cinquenta anos, aproximou-se e se sentou na poltrona ao seu lado. Ela trazia a amargura estampada na face e a solidão de sua alma parecia extravasar por todos os poros. Não se passaram muitos minutos e ela tentou entabular uma conversa com o companheiro de viagem.

De início, ele se fez arredio mas, como ela insistisse, ele aquiesceu e começaram uma conversa que se prolongaria pelos quarenta e cinco minutos de voo. Ela se mostrava ansiosa por encontrar alguém a quem pudesse dizer das suas dificuldades. Era uma alma desejosa de orientação, de socorro. E aquele senhor, por sua formação moral e disciplina, ofereceu-lhe, naqueles 45 minutos, material suficiente para que ela pudesse refazer a sua vida. Ela se corrompera aos 14 anos. Dizia ter perdido tudo o que uma pessoa tem de bom, de ético e digno. Tudo para ostentar joias caras, essas coisas que convencionamos ser de valor. Ele lhe falou de espiritualidade e espancou as nuvens densas em que ela se envolvia, apresentando-lhe os princípios difundidos pelo Racionalismo Cristão. Falou-lhe de dignidade, de melhoria.

Convidou-a a uma nova vida. Ao final da viagem, ela lhe disse que não sabia, exatamente, se poderia colocar em prática tudo o que ele lhe falara. Mas que tentaria começar uma vida nova. Ao se despedirem, ela o olhou e afirmou: O senhor tem o rosto tão alegre. Desde que me sentei ao seu lado, vi que o senhor estava sorrindo. Não sorrindo com os lábios, não. Era algo especial, que vinha do senhor. Por isso escolhi me sentar ao seu lado. Estava imensamente triste e desejava me contaminar. Achamos muito interessante a afirmativa da jovem atormentada. Desejava contaminar-se. Esquecemo-nos de que a alegria, o bem e o amor também contagiam. Dessa forma, é preciso se ligar às pessoas boas e ser uma delas. Deixar-se contagiar pelo bem. E mais importante ainda: permitir-se ser uma pessoa alegre, otimista, dinâmica.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Anúncio

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email