Solidariedade – a Economia a Serviço da Vida

Luiz Augusto Barreto Rocha(*) 

Os frutos da mobilização de competências, braços e recursos

Nesta semana completamos dez reuniões do COMITÊ INDÚSTRIA ZFM COVID-19. Estes encontros ocorrem pontualmente das 16 às 18 horas, toda segunda-feira. Realizado o impulso inicial, CIEAM e FIEAM, Centro e Federação das Indústrias do Estado do Amazonas, ELETROS e ABRACICLO, entidades nacionais da Indústria de Eletrônicos e Duas Rodas, amparadas por um time de primeira grandeza, focado em realizar o protagonismo que falamos, vieram incrementar exponencialmente as conquistas. Que não tem sido poucas, notadamente no alinhamento e aprendizado deste novo conviver em grupo, nas conferências realizadas.

76% de efetividade

Não seria relevante mencionar nomes individualmente, porém muitas das principais competências do nosso estado e do Brasil já apresentaram suas opiniões, em mais de cinquenta painéis. São múltiplos atores direta e indiretamente ligados ao saber e ao fazer. Nestes encontros temos contado com a presença do alto escalão do setor público e privado, local e federal, agentes qualificados do tecido social, que se dispuseram a trocar estudos, opiniões e sugestões, partilhando informações robustas para a tomada de decisão, sempre de “…forma ampla, transparente, democrática, respeitosa, contributiva e apartidária…”, como determinam as “Regras de Conduta” que foram previamente estabelecidas para nortear os trabalhos, onde a cada reunião propostas são sugeridas de forma aberta. Evidente que sempre necessário ressaltar que este é um grupo que deve realizar AÇÕES e não DISCURSOS. Afinal o tempo urge e as carências são muito grandes, qualquer fala precisa se transformar em contribuições relevantes, ou frutos, como os chamamos. Ao final, esta relação de falas são listadas e inclusas em um “Painel de Sugestões”, que tem sido levado para decisões imediatas, em reuniões semanais, onde os presidentes das entidades deliberam e decidem as que devem ser implementadas, as que não devem, e as que devem ser adiadas. E vamos aos números: de todas as propostas sugeridas, no decorrer das 8 primeiras reuniões, 76% foram realizadas! Aprovar e fazer acontecer mais de três quartos de propostas objetivas da sociedade é nosso melhor termômetro. A cada reunião o alinhamento cresce e os resultados aparecem!

Mas vamos falar dos frutos?

Um dos frutos deste trabalho foi a criação da AÇÃO SOCIAL INTEGRADA, um grupo de administração solidária, formado por empresários e profissionais qualificados do Polo Industrial de Manaus, das entidades empresariais já mencionadas. Poucas experiências no âmbito das relações humanas têm sido para mim tão gratificantes como esta. A todo instante, mais empresas se integram, vestindo a camisa solidária do voluntariado, das doações de alimentos e equipamentos de proteção individual, EPIs, para resguardar a segurança sanitária de médicos, enfermeiros, técnicos e demais trabalhadores na área da Saúde, além de outros itens para ajudar o tratamento dos pacientes acometidos pela Covid-19. Fomos todos tomados de surpresa e colocados diante de um inimigo sorrateiro e desconhecido. Era preciso agir, cuidar da vida humana e de seu suporte material. Nas primeiras duas semanas já foram entregues mais de 64 mil quilos de alimentos. Considerando a situação de necessidade que temos testemunhado, é pouco. Porém importante afirmar que estamos apenas começando, e a mobilização se amplia e se consolida. Nesta rotina reencontramos amigos, revemos conceitos e aprendemos a nos descobrir mais solidários e humanos, porque unidos pelo bem-comum.

Polo Industrial da Saúde

E no meio do confronto pela vida também podemos e devemos partilhar oportunidades! O titular da Suframa, Coronel Alfredo Menezes, anunciou o Polo Industrial da Saúde, indicando movimento de apoio, protagonizado pelo setor privado, em produzir aqui os equipamentos para combater a pandemia. Respiradores, EPIs e outros itens de urgência não chegavam dos fornecedores asiáticos, dos quais nossa dependência é absurdamente temerária, mais de 90% em muitos setores. Então muitos passaram a fabricar itens no PIM, do dia para a noite, usando a força, a criatividade e a técnica que o povo do Amazonas tem de sobra. Um Polo Industrial da Saúde pode dispor, então, dos requisitos básicos, a começar pela definição da bioindústria incrementados por recursos de P&D&I, pela utilização do CBA, com foco direcionado para inovação na área da Saúde, cujos projetos passarão a ser aqui aplicados e com os PPBs definidos no âmbito do Conselho de Administração da Suframa. Assim, nosso alinhamento se amplifica, a responsabilidade social se amplia e o protagonismo avança. Aguardem novos frutos!

* Luiz Augusto Barreto Rocha é advogado, empresário, presidente do Conselho Superior do CIEAM e vice-presidente da FIEAM.

*Esta Coluna é publicada às quartas, quintas e sextas-feiras, de responsabilidade do CIEAM. Editor responsável: Alfredo MR Lopes. [email protected]

Fonte: Cieam

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email