Sobe número de haitianos que tentam imigrar ilegalmente nos EUA

Desde o terremoto que atingiu o Haiti em 12 de janeiro, deixando mais de 230 mil mortos e cerca de dois milhões de desabrigados, a quantidade de haitianos que buscam entrar ilegalmente nos EUA a partir da fronteira com o Canadá não para de subir, informaram as autoridades de fronteira americanas.
“Desde 12 de janeiro, 114 haitianos foram detidos em Vermont e um em Nova York”, disse Mark Henry, porta-voz da guarda fronteiriça do Estado de Vermont, nos EUA.
De acordo com os oficiais, os imigrantes detidos nas últimas semanas não são provenientes diretamente do país devastado pelo terremoto, mas sim pessoas que já viviam ilegalmente nos Estados Unidos e que tentaram sem sucesso conseguir asilo no Canadá e agora retornam.
O aumento também pôde ter sido influenciado pela suspensão temporária de todos os processos de deportação de haitianos, anunciada pelo presidente dos EUA, Barack Obama, semana passada. No dia 10 de abril, o governo dos Estados Unidos confirmou a liberação de cerca de 30 haitianos vítimas do terremoto que assolou o país caribenho em janeiro deste ano e que estavam sob custódia em um centro de detenção na Flórida.
Segundo o jornal “The New York Times”, essas pessoas, algumas delas resgatadas de escombros e que sofreram ferimentos graves, não conseguiram vistos para entrar nos EUA, e foram detidas por autoridades do setor de imigração.
O porta-voz do Departamento de Segurança Nacional (DHS) americano, Matthew Chadler, afirmou que o grupo não será enviado de volta ao Haiti, já que o governo do presidente Barack Obama suspendeu por enquanto todos os processos de deportação àquele país. A liberdade dos haitianos, no entanto, pode ser provisória. Segundo Chadler, “eles poderão permanecer [nos EUA] até que os processos de deportação sejam reiniciados”.
O Haiti foi devastado por um terremoto no último dia 12 de janeiro, que deixou mais de 230 mil mortos e 2 milhões de desabrigados. Antes da catástrofe, no entanto, o país já era o mais pobre das Américas, com altos índices de desemprego e analfabetismo e uma população de 9 milhões, com quase 80% vivendo com menos de 2 dólares por dia.
A conferência internacional de doadores ao Haiti, realizada ontem, em Nova York, anunciou US$ 5,3 bilhões (R$ 9,4 bilhões) em doações para ajudar na reconstrução do Haiti nos próximos dois anos, um valor “muito além da expectativa”.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email