Smartwatch do Facebook? Rede social quer seu próprio relógio

O mercado dos smartwatches pode ganhar um novo concorrente, em 2022, além dos players já conhecidos, como a Apple, a Samsung, a Xiaomi e a Huawei. Isso porque o Facebook estaria desenvolvendo um relógio inteligente próprio, de acordo com rumores do setor.

Segundo o The Information, o Facebook planeja comercializar o smartwatch já no ano que vem, o que representaria mais um avanço da companhia de Mark Zuckerberg no mercado de hardware e uma tentativa de diminuir a dependência das empresas do setor, como o Google.

Ainda sem informações oficiais, o relógio deve priorizar recursos que ampliem a experiência dos usuários da companhia, como funcionalidades especiais para o WhatsApp, o Instagram ou ainda o próprio Facebook. Além disso, o produto deve ser integrado com recursos voltados para o universo de saúde e fitness, como uma parceria com a plataforma Peloton com mais de 1,4 milhão de membros.

Outro diferencial é que o smartwatch do Facebook, supostamente, deve se conectar à internet, sem a necessidade de ser emparelhado com um smartphone. Para isso, o relógio deve executar uma versão do Android, do Google, pelo menos inicialmente. A ideia é desenvolver também um sistema operacional próprio.

Até o momento, o Facebook não confirmou os planos de lançar um smartwatch próprio. No entanto, a empresa tem se aventurado no desenvolvimento de hardwares, o que aumenta as possibilidades dos rumores serem verdadeiros. Entre os últimos produtos da marca, estão os Oculus VR.

Hyperloop: projeto poderá conectar Porto Alegre à Serra Gaúcha em 12 minutos

Parceria é para a viabilidade de uma uma espécie de trem-bala
Foto: Divulgação

No Rio Grande Sul, um projeto revolucionário conta com a parceria da Virgin Hyperloop para pesquisas iniciais de uma espécie de trem-bala. Desenvolvida a partir de uma das ideias do empresário e cientista Elon Musk, a norte-americana planeja transportar pessoas e mercadorias, através de cápsulas com levitação magnética, que percorreriam um tubo, no vácuo, em uma velocidade surpreendente.

No caso brasileiro, a meta é o lançamento de um transporte de altíssima velocidade que pode chegar até 1.200 km/h, percorrendo a distância entre Porto Alegre e a Serra Gaúcha em um intervalo de 12 minutos, conforme anunciado pelo governo do Estado em janeiro. Atualmente, a rota pode ser feita de carro 1h40min, em média, enquanto o percurso de ônibus pode durar até três horas.Ainda em fase de pesquisa, a iniciativa do Rio Grande do Sul é desenvolvida através do programa Techfuturo, da Sict (Secretaria de Inovação, Ciência e Tecnologia), em parceria com a empresa global de transportes HyperloopTT e o apoio científico da UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul).

Além de um estudo para a viabilidade técnica da rota até a Serra Gaúcha, o acordo também prevê a análise das condições ambientais, socioeconômicas e financeiras da região. 

Starlink já tem CNPJ para operar no Brasil

Starlink começou a operar em 2019
Foto: Divulgação

Embora ainda não haja nenhuma declaração oficial sobre o assunto, tudo indica que a SpaceX já está se preparando para oferecer seu serviço de acesso à internet via satélite, o Starlink, no Brasil. Recentemente duas empresas foram registradas junto à Receita Federal com este propósito.

A Starlink Brazil Serviços de Internet Ltda (CNPJ 40.154.884/0001-53) foi registrada em 18 de dezembro passado, com capital social de R$ 800 mil (pouco menos de US$ 150 mil). A atividade principal é “Telecomunicações por satélite”, descrita da seguinte forma: ”operação de instalações para a transmissão de voz, dados, texto, som e vídeo usando uma infraestrutura de telecomunicações por satélite; os meios de telecomunicações que proveem estas atividades podem ser baseados em satélites geo-estacionários ou não geo-estacionários de média e baixa órbita, provedores de enlaces de radiofrequência entre os satélites e estações terrenas, usuários, empresas ou comunidades”.

Pré-venda da Starlink no Brasil

A Starlink está aceitando reservas para acesso ao serviço em seu site, mediante o pagamento de uma taxa de US$ 99 (R$ 530). Inicialmente o serviço será oferecido nos EUA, Reino Unido e Canadá, e dependendo da região a previsão para disponibilidade é informada como “de meados ao final de 2021” ou “2022”.

Meta ambiciosa

O serviço de internet por satélite Starlink, da SpaceX, chegou à marca dos 10 mil assinantes. O projeto tem a ambiciosa meta de popular a gravidade da Terra com milhares de pequenos satélites, formando uma verdadeira constelação. O anúncio foi feito pelo bilionário Elon Musk, que é o criador da empresa, e mostra que o público vem reagindo bem ao serviço ainda em fase beta. O projeto conta atualmente com pouco mais de mil satélites em órbita e tem permissão para chegar a 12 mil. Com isso, a empresa ambiciona alcançar cerca de 5 milhões de clientes. 

Foto/Destaque: Divulgação

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email