Sistema de gestão é tema do Fórum da Confap

Com a presença de presidentes das FAPs (Fundações de Amparo à Pesquisa) de vários Estados, além de representante do MCT (Ministério de Ciência e Tecnologia) e do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico), realizado na semana passada, em Teresina/PI, o Fórum Nacional do Confap (Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa).
Entre as metas da conferência está a garantia de ampliação dos investimentos em C&T para 1,5% do PIB(Produto Interno Bruto) e o aumento do número de bolsas oferecidas pelo CNPq e Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior).
Um dos pontos altos do primeiro dia de trabalho no fórum foi a reunião que discutiu o Sistema de Informação de Gestão de Projetos das FAPs, com a participação dos presidentes das FAPs do Amazonas (Fapeam), Mato Grosso do Sul (Fundect), Piauí (Fapepi), Espírito Santo (Fapes) e Sergipe (Fapitec/SE).
A reunião visava criar um movimento colaborativo entre as fundações que participam do programa a partir da criação de um Comitê Gestor a fim de dar andamento na implantação do sistema nos demais Estados, a exemplo do que já ocorre no Amazonas, com o uso de software livre.
Para o diretor-presidente da Fapeam, Odenildo Sena, que apresentou o sistema, já em fase de implantação, isso facilitará a consolidação e geração de indicadores das FAPs de todo o país. “Acredito que esta iniciativa seja extremamente importante, porque dessa forma as FAPs aprimoram conjuntamente o sistema e todas saem ganhando”, justificou.

Realidade do Amazonas

O Sistema de Informação e Gestão utilizado hoje pela Fapeam está em funcionamento desde o início de 2009 e é derivado de um sistema criado pelo Mato Grosso do Sul. Funciona a base de software livre e foi totalmente adequado à realidade do Amazonas.
A primeira fase de implantação contou com a adequação ao modelo de gestão para a realidade da Fapeam. A segunda, na qual se encontra, consiste na criação e disponibilização de módulos ou serviços a partir de demandas locais.
“O foco é gerir a atividade fim da Fapeam, que é fomentar pesquisas, desde a criação de editais, submissão de propostas, acompanhamento e, mais recentemente, e ainda em fase de implantação, a avaliação e a geração de prestação de contas”, explicou o gerente de tecnologia e informação da Fapeam, James Azevedo.
Entre as maiores vantagens do sistema, o dirigente destaca o maior controle do gerenciamento das informações que passam a gerar dados de forma mais rápida e a diminuição do uso de papéis, o que também contribui para a preservação do meio ambiente.
Como resultado prático da reunião no Fórum, foram criados dois comitês: um técnico, que será constituído por um técnico indicado pelas FAPs, e um gestor, que será formado pelos presidentes das instituições participantes ou pessoas por eles indicadas.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email