Sindifisco defende blindagem ao setor

O Sindifisco-AM (Sindicato dos Funcionários Fiscais do Estado do Amazonas) defende uma blindagem no setor de duas rodas do PIM (Polo Industrial de Manaus) diante da importância do segmento para arrecadação tributária do Estado e o desempenho negativo registrado neste início do ano. O setor é o maior contribuinte do ICMS apurado mensalmente entre as empresas do PIM, mas registrou um crescimento negativo de -4,04% no primeiro trimestre de 2012, em comparação com igual período de 2011, na produção de motocicletas, motonetas e triciclos.
“O polo de duas rodas está se consolidando como o mais significativo para a economia a Zona Franca de Manaus e precisa ter para o governo federal a mesma importância da indústria automobilística de quatro rodas. O polo de duas rodas deveria ter o beneficio da alíquota de IPI de 35%”, observa o presidente do), Joaquim Corado.
A produção do polo de duas rodas chegou a registrar um crescimento de 38,70% no primeiro trimestre de 2011 em relação ao primeiro trimestre de 2010. Em 2010, esse setor respondeu por 45,53% de toda a arrecadação de ICMS e, em 2011, por 39,65%. “O governo do Amazonas precisa entender a importância desse segmento no contexto econômico local. É necessário que o governo federal blinde de ameaças da concorrência leal e desleal do mercado brasileiro, protegendo e consolidando a sua produção no PIM”, alerta Corado. “Outro ponto positivo desse polo é que ele não tem uma evolução tecnológica acelerada, como ocorre no polo eletroeletrônico, o que exige menos investimentos em inovação e tecnologia. Em consequência, há menos ameaça de evasão de empresas do PIM, ao contrário do pólo eletroeletrônico, sempre com a ameaça de fuga de seus principais produtos”.
A massa salarial e encargos do polo de duas rodas, em 2011, representam 23,78% da massa salarial e encargos do PIM, enquanto o número de empregos criados representou 18,51% do total gerado no PIM (20.467 postos de 110.563) – e o salário e encargos médios é o terceiro do Polo Industrial. Com esses números, o polo de duas rodas é o segundo em Massa Salarial; segundo em geração do emprego e terceiro em salário e encargos médios do PIM. O polo de duas rodas também vem se caracterizando como o segmento do PIM que mais utiliza insumos regionais, chegando a 50,81% do total consumido pelas indústrias; 40,83% dos insumos nacionais e 9,78% dos insumos do exterior utilizados.
“É o segmento mais importante do PIM, por isso deve ser preservado e blindado pela sua significância para a economia regional como um todo”, observa Corado.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email