27 de maio de 2022

Seus propósitos são específicos?

São nos desafios naturais e específicos que aprendemos uma lição. Tudo na nossa vida é resultado de um objetivo a ser alcançado. Se um rapaz deseja namorar uma garota, ele vai correr atrás de seu objetivo; se um executivo deseja galgar cargos maiores, ele vai se especializar, vai correr atrás do inglês fluente, vai melhorar sua atuação na empresa, vai procurar trazer melhores resultados. 

Há objetivos, porém, que mexem com toda uma vida. Esses objetivos devem ser bem planejados, mas, antes disso, você precisa saber se o seu sonho é realmente aquilo e se você está disposto a superar desafios por ele.

Ninguém consegue viver a vida sem propósitos específicos

É preciso ter metas e objetivos a serem alcançados. Para se obter sucesso em algo, você precisa planejar. Planejar qual é o seu objetivo, em quanto tempo você quer alcançar o seu objetivo e o qual será seu plano de ação.

Hoje em dia, as pessoas em geral são muito imediatistas. Faz-se algo esperando obter o retorno logo em seguida. Mas, nem tudo é assim. Geralmente, os objetivos maiores e com maior tempo de duração no êxito, demoram a ser alcançados e para isso você tem que ter em mente o seu objetivo, e não se deixar desviar dele. Durante o tempo em que você está tomando as ações necessárias para alcançá-lo, muitos contratempos podem aparecer para você desistir e algumas outras oportunidades podem parecer tentadores, que parecem boas no momento, mas, não a longo prazo. Você não pode deixar que as suas limitações ditem padrões. A sua persistência é o antídoto para esses contratempos ao longo do caminho rumo ao seu objetivo.

As pressões são instrumentos favoráveis para forjar um caráter de conquista

Para ilustrar essa afirmação, uso uma história muito conhecida, porém pouco meditada – Ana era estéril e o desejo do seu coração era ter filhos. Por outro lado, havia sua rival, Penina, que zombava de Ana dia e noite e que já havia dado muitos filhos a seu marido. Ana tinha bons motivos para se sentir desencorajada e amargurada. Ela não podia gerar filhos, compartilhava seu marido com uma mulher que a ridicularizava e seu excelente esposo não podia resolver seus problemas. Mas ao invés de retaliar ou perder as esperanças, Ana persistiu. Ana persistiu ano após ano.

Todos nós podemos enfrentar momentos de esterilidade quando nada “nasce” em nosso dia a dia, trabalho ou relacionamento. Embora, não possamos impedir que outras pessoas nos critiquem injustamente, podemos escolher como reagir às suas palavras nocivas. Ao invés de sofrermos por causa de nossos problemas, devemos aproveitar essa situação para usarmos a nossa perseverança.

Precisamos tomar a situação adversa como um combustível favorável para chegarmos ao nosso propósito. Transforme suas pressões, adversidades e limitações em fatores favoráveis.

Alcançado seu propósito, honre quem merece honra

Podemos honrar as pessoas de duas maneiras. Uma inclui outras motivações: Honramos nossos chefes para que nos recompensem, os ricos para que contribuam para nossa causa, os poderosos para que usem seu poder em nosso benefício e não contra nós. Porém, a melhor maneira de honrar envolve o amor. Será que a maneira correta de honrar os outros parece ser muito difícil para sua natureza competitiva? Por que não tentamos sobrepujar os outros na maneira de demonstrar respeito pelos outros? 

Tenha cuidados com os atos de favoritismo. Freqüentemente, tratamos melhor uma pessoa bem-vestida e de aparência impressionante do que alguém que parece maltrapilho. Isso já aconteceu comigo! Certa vez, saí de casa em um final de semana para deixar uma pessoa em casa. Ao passar por uma loja de sapatos, parei para comprar um par. Ao entrar na loja, as atendentes não procuraram me atender, visto que eu não estava “muito arrumada” e quando as abordei pedindo o par de sandálias para experimentá-las, elas logo me disseram o preço. Educadamente, respondi que eu gostaria de experimentá-las e não de saber o preço. Elas trouxeram a sandália, eu experimentei e levei a sandália para casa. Vi depois a reação da moça que me atendeu, que ficou com vergonha dos seus modos. Infelizmente, na maioria das vezes, pessoas que fazem isso, são as que mais precisam. Mas, isso é explicável. Fazemos isto porque preferimos nos identificar com as pessoas “bem-sucedidas” do que com aqueles que são “aparentemente fracassadas”. Você fica facilmente deslumbrado pela posição social, riqueza ou fama? Você é parcial com o “ter”, enquanto ignora o “ser”? Seria bem melhor tratarmos todos de forma igual e, caso surgisse a necessidade de favorecer algum, favorecer o que mais precisa.

… lembre-se: Seja uma pessoa de propósitos específicos!

Boa semana!

Fiquem com Deus!

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Anúncio

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email