9 de maio de 2021

Seu pet tem hábito de comer o próprio cocô? É bom investigar causas

Com certeza, você já se deparou com uma situação desagradável que chega a lhe dar asco. Cada vez que defeca, o seu cão come o próprio cocô. Nojento, não? Não se desespere, pois o distúrbio tem tratamento. Ele pode representar uma série de coisas que merece uma investigação.

As fezes têm odores muito fortes e são um estímulo para cães com esse comportamento. Quando menos se espera, lá estão eles degustando os excrementos.

Conhecido como coprofagia, o problema tem várias causas. Pode estar relacionado à carência de minerais no organismo, distanciamento dos tutores, isolamento em casa ou até mesmo uma forma de intimidar outros cães na marcação de territórios. “Aqui quem manda sou eu. Chega pra lá”.

Pode ser uma tentativa de chamar sempre a atenção do tutor. Outro fator é exagerar na quantidade e também na rapidez com que os animais ingerem os alimentos. A comida não é bem digerida e parte sai nas fezes praticamente como entrou. E isso é  um ‘prato cheio’ para eles.  

E não é atoa que os fabricantes capricham no bom cheiro das rações para conquistar a preferência dos cães. Claro, sem esquecer, o bom balanceamento de nutrientes. Eles são guiados principalmente pelo aroma dos alimentos.

E muitos tutores não entendem esse comportamento. “Compro a melhor ração premium e meu cão larga tudo pra comer o próprio cocô. Não entendo”. Essa é a principal lamentação de donos de cães em consultórios e clínicas veterinárias.

Você precisa entender mais o seu pet. Eles não mantêm esses hábitos por acaso. A coprofagia pode acontecer em pelo menos 90% dos cães. Observe o dia a dia de seu animal com mais retidão, paciência, procurando entendê-lo.

Cachorros que comem juntos podem desenvolver também esse hábito. O dominante vai acabar comendo mais as fezes, fazendo com que o mais submisso fique com menos nutrientes. E aí surge uma forma de compensar essa carência alimentar.

Então, quando o ‘manda-chuva’ defeca, o outro sentirá fome por não ter se saciado adequadamente e acabará comendo também o cocô do outro. Complicado, não, entender os cães! Mas a vida deles é assim. Especialistas se debruçaram anos e anos em pesquisas para esmiuçar o comportamento deles.

A presença de certos parasitas gastrointestinais como a giárdia e a deficiência de vitamina B1 também levam os cães a praticar a coprofagia. E ainda a pancreatite.

O cocô faz mal tanto para o animal como para o tutor. Dá margem para o surgimento de infecções. E é um grande incômodo para as pessoas que são obrigadas a conviver com o cheiro desagradável de fezes.

Então, a melhor solução para esses casos é investigar. Só um especialista poderá indicar um tratamento.

POR DENTRO

Causas:

. Deficiência de minerais

. Carência afetiva

. Chamar sempre a atenção de tutores

. Intimidação por território

. Problemas gastrointestinais

. Giárdia

. Pancreatite

. Outros parasitas

DICA ANIMAL

‘Limpa meus dentes’

Você se preocupa como andam os dentes do seu pet? A saúde também começa na boca dos animais. Assim como nós, humanos. Faça a escovação diária, com frequência, com creme dentais próprios para eles. Descarte os uados por humanos, pois eles são extremamente nocivos por conter cloro, que causa intoxicação nos bichinhos.

A higienização previne doenças periodontais que podem custar caro para o tutor. Uma tartarectomia, que é o acúmulo de bactérias na arcada dentária, não sai hoje por menos de R$ 400. Os preços variam de acordo com o peso e o tamanho do animal.

Então, invista na prevenção se você não quiser ter gastos no futuro.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email