Setor terá mais ajuda dogoverno

As subsidiárias brasileiras das montadoras mereceram destaque especial na divulgação dos balanços do primeiro semestre deste ano. O crescimento médio de 25% nas vendas superou as previsões mais otimistas.
A Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores) esperava incremento de 7% nas vendas em 2007, no início do ano. Na Fiat, a receita líquida subiu 31,9% nos primeiros seis meses, atingindo R$ 11,4 bilhões, contra R$ 8,6 bilhões no primeiro semestre de 2006. Já a Volkswagen vendeu até junho 27,2% a mais do que no primeiro semestre de 2006, na América Latina. No Brasil, o aumento foi ainda maior, de 28,6%.
A indústria deverá produzir 3 milhões de carros neste ano, para uma capacidade instalada de 3,5 milhões, patamar jamais atingido antes.Mesmo com tantos resultados positivos na área, o governo incluiu o setor no pacote priorizado pela política industrial, previsto para ser anunciado entre agosto e setembro. Entre as iniciativas, espera-se crédito com condições especiais, desoneração tributária e mudança nas tarifas de importação. Como várias outras áreas, as montadoras sentiram os efeitos da valorização cambial e registraram, em média, queda de 8% nas exportações até julho, segundo a Anfavea. Em 2005 e 2006, o setor também tinha recuado, após cinco anos seguidos de expansão nas vendas para fora.
“O governo está certo em incluir as montadoras entre os setores beneficiados”, diz Letícia Costa, presidente da consultoria Booz Allen Hamilton no Brasil e especialista no setor automotivo.
Para Costa, a iniciativa do governo é uma sinalização muito importante para futuras decisões de investimentos. Nesse momento, Fiat, GM , Volks e Toyota estão decidindo em quais países investirão em aumento de capacidade. A construção de novas fábricas nesse setor demanda investimentos em torno de US$ 2 bilhões.

Editor Responsável:

Raimundo Nonato Lopes de Souza

telefone: (92) 2101.5526
fax: (92) 2101.5523

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email