10 de abril de 2021

Setor de vendas diretas movimenta R$ 5,2 bi no primeiro trimestre

O primeiro balanço trimestral de 2010 da ABEVD (Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas) acaba de ser consolidado

O primeiro balanço trimestral de 2010 da ABEVD (Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas) acaba de ser consolidado. Seguindo a tendência dos últimos quatro anos, mais uma vez o setor consegue superar o desempenho obtido no mesmo período do ano passado. Com um volume de negócios na casa de R$ 5,2 bilhões, as vendas diretas seguem em constante crescimento no país, a uma taxa de expansão de 19% sobre o mesmo período do ano anterior. Descontada a inflação do período, o crescimento real obtido foi de 13,9%.
O contingente de revendedores ativos também cresceu em comparação com o ano passado. O primeiro trimestre de 2010 registrou cerca de 2,125 milhões de revendedores realizando vendas pelo canal, ou 18,2% mais que há um ano.
A ABEVD tem registrado também um expressivo aumento na adesão à atividade de vendas diretas. O número de revendedores nos cadastros das empresas aumentou 16,8% em relação ao 1º trimestre de 2009. De acordo com a entidade, as diversas opções do segmento fomentam esses resultados do setor.
Para Paulo Quaglia, presidente da ABEVD, o desempenho anunciado é a confirmação das virtudes do setor. “Os números superaram nossas expectativas e o setor vem se destacando a cada ano. O número de revendedores cadastrados continua aumentando, o interesse das pessoas pela atividade está em alta. E isso já começa a refletir no faturamento do setor”, analisa.
De acordo com a ABEVD, o nível de atividade dos revendedores cadastrados registrou um pequeno aumento, de 1,2 ponto percentual. Cada revendedor brasileiro comercializou uma média de 170 itens no primeiro trimestre de 2010, entre produtos e serviços.
As vendas diretas constituem um setor cada vez mais relevante para a economia brasileira, responsável pela contribuição fiscal da comercialização de produtos e serviços realizada por milhões de revendedores autônomos. É composto por empresas de segmentos diversos, sendo 88% da categoria de cuidados pessoais, 6% de suplementos nutricionais, 5% de cuidados do lar e 1% de serviços e outros.
Também chamadas de vendas por relacionamento, as vendas diretas ocorrem em círculos sociais, fora de estabelecimentos comerciais fixos. Não deve ser confundida com a venda porta a porta, uma vez que esse termo está sujeito a toda sorte de mercadorias, de origem desconhecida, e sobre a qual não se aplicam as diretrizes de ética do Código de Conduta da ABEVD.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email