Setor de serviços desacelera em julho

O setor de serviços da economia dos Estados Unidos registrou expansão em julho, mas a um ritmo menor que o observado um mês antes. Segundo o ISM (sigla em inglês para Instituto de Gestão de Oferta, que apura o índice), o índice de atividade do setor ficou em 55,8 pontos em julho, contra 60,7 em junho.
O índice de julho também foi o menor desde março e ficou abaixo do esperado pelos analistas, 59 pontos. Leituras acima de 50 pontos indicam expansão do setor; abaixo desse patamar, o índice aponta para contração. O indicador de novos pedidos do índice – visto como indicador de tendência para os meses à frente – caiu para 52,8 pontos, menor em quatro anos. Em junho, o indicador ficou em 56,9 pontos. O componente do índice referente a empregos caiu para 51,7 pontos, contra 55 em junho.
O componente referente a exportações também teve queda expressiva – de 59 pontos em junho para 52,5 no mês passado.
Dos 15 setores avaliados pelo ISM, nove tiveram crescimento no mês passado, incluindo comércio varejista, transporte e artigos domésticos e finanças e seguros. Entre os seis setores em baixa ficaram agricultura, negócios imobiliários e serviços profissionais.
A economia americana gerou 92 mil empregos em julho, enquanto a taxa de desemprego no país teve uma elevação de 0,1 ponto percentual no mesmo mês, ficando em 4,6%. Dados foram divulgados pelo Departamento do Trabalho.
Segundo os dados, a criação de empregos nos EUA vem registrando perda de força mês a mês: em junho foram criadas 126 mil vagas e em maio, 188 mil – os números foram revisados para baixo, em relação às leituras iniciais: 132 mi e 190 mil respectivamente. A média de novos postos de trabalho neste ano nos EUA ficou em 136 mil por mês. Os salários por hora no país tiveram alta de 0,3% no mês passado, ficando em US$ 17,45. O valor é 3,9% superior ao registrado no mesmo mês de 2006.
A criação de empregos de julho ficou abaixo do esperado pelos analistas, que previam a abertura de 130 mil novas vagas no mercado de trabalho. A taxa de desemprego também superou o previsto -manutenção em 4,5%.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email