Pesquisar
Close this search box.

Sessão Solene homenageia 120 anos do Jornal do Commercio

Em sessão especial, a Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) entregou, ontem, ao empresário Sócrates Bomfim Neto, CEO do Jornal do Commercio, a placa alusiva aos 120 anos de atuação da empresa jornalística na região. Na ocasião, também foram homenageadas 12 pessoas entre antigos e atuais colaboradores, como também a diretoria, redação, comercial, parque gráfico e logística.

A homenagem atendeu a uma proposta do deputado Adjuto Afonso (UB), em reconhecimento a um veículo de comunicação que por mais de um centenário vem cobrindo os principais fatos da história do Amazonas.

Com um auditório do Legislativo praticamente lotado, o nome do saudoso jornalista e empresário Guilherme Aluízio de Oliveira Silva, que adquiriu o jornal na década de 1980, realizando um sonho acalentado por muitos anos foi evidenciado nos discursos feitos em plenário.

Várias autoridades estiveram presentes, entre eles os desembargadores Socorro Guedes e Elci Simões, e o empresário Antonio Silva, presidente da Fieam (Federação das Indústrias do Estado do Amazonas), o presidente da Fecomércio AM, Aderson Frota, além de outros representantes.

Durante a solenidade, Adjuto Afonso destacou que o JC é um referencial de consulta para quem deseja conhecer matérias jornalísticas de muita credibilidade, com alta responsabilidade, enfocando os mais diversos assuntos da mídia, que remetem ao passado e ainda aos dias de hoje.

“Quero parabenizar o trabalho do Jornal do Commercio, que escreveu a história do nosso Estado por esses longos 120 anos. Suas colunas e reportagens evidenciam o que de fato aconteceu na região. É muito importante para a economia. Nada mais merecido que essa homenagem, aprovada por unanimidade pelos deputados que fazem parte desta Casa”, disse Adjunto. “Aliás, o veículo vem prestando serviços diariamente ao Amazonas. E todos devem reconhecer essa popularidade”, acrescentou o parlamentar.

O presidente do Jornal do Commercio, Sócrates Bomfim Neto, não conteve a emoção ao falar do pai, “um homem apaixonado pelo jornalismo, que encarava a atividade com muita dedicação, empenho e isenção”. E sabia receber a todos sem distinção, com a elegância que lhe era peculiar.

Em seu discurso, o empresário lembrou o quanto o Dr. Guilherme realizou o seu sonho de vida ao adquirir o jornal, que hoje ele recebe como herança para dar continuidade ao seu legado.

“Meu pai me trouxe de volta para administrar a empresa, algo que carrego com muito orgulho e dedicação. Em nome da equipe do Jornal do Commercio, presto nossos sinceros agradecimentos que celebram a nossa trajetória e o compromisso com a sociedade. É a prova que nosso trabalho é valorizado”, disse.

Sócrates também destacou que o JC registrou o apogeu da borracha, cobrindo a transição para o modelo ZFM. “Quando iniciou, nossa cidade tinha 50 mil habitantes e a borracha era a nossa principal fonte de renda da região”, destacou, reportando-se ainda aos fundadores do veículo, que posteriormente passou a fazer parte dos Diários Associados.

“O jornal serviu como um divisor de águas em minha família”, ressaltou.” Em 2024, completo 26 anos de Jornal do Commercio, um quarto de século destinado à tarefa de consolidar a credibilidade e confiança no JC”, afirmou.

O diretor-presidente do Sistema de Comunicação Encontro das Águas, jornalista Oswaldo Lopes Filho, destacou a iniciativa do Legislativo do Amazonas em reconhecer a trajetória do JC. E ressaltou o que representa o jornalista Guilherme Aluízio para a imprensa amazonense. “Tive o privilégio de aprender com ele. Sempre foi um grande ensinamento em nossas reuniões. Aprendi muito nesses encontros””, afirmou.

O jornalista Fred Novaes, diretor de redação do Jornal do Commercio, também falou sobre a homenagem. “É um jornal centenário do Estado, que sempre esteve aliado ao setor produtivo. Portanto, é um momento importante. Aliás, o JC é um patrimônio do Estado do Amazonas”, frisou.

Dona Selma Bomfim, viúva do Dr. Guilherme, CEO da SB Imóveis e diretora do JC desde 1987, falou sobre a trajetória da empresa. “É um reconhecimento do serviço público que o jornal presta à sociedade, abordando a economia e a política do Estado. É um veículo voltado naturalmente para a comunidade. Isso eu acho extremamente agradável, e lisonjeiro até, pela Assembleia Legislativa ter feito essa homenagem”, afirmou.

Ela também lembrou do sonho de Dr. Guilherme. “Seguramente, meu marido estaria radiante pelo reconhecimento de um trabalho tão importante. Ele era um jornalista por excelência, porque gostava muito, e foi empresário por circunstância da vida, mas foi jornalista por escolha própria”, acrescentou.

O superintendente do JC, Adalberto Santos, disse que o jornal vai continuar lutando sempre com a mesma determinação, inovando seus trabalhos, incursionando pelos mais diversos nichos da mídia, apesar de um mercado publicitário cada vez mais  encolhido no País.

“Essa homenagem representa o reconhecimento do Estado do Amazonas. Apesar de uma atividade tão difícil, nosso presidente, Dr. Guilherme, perseverou. Isso é para poucos. Os veículos de comunicação, principalmente os impressos, estão se acabando, mas o nosso não vai acabar”, disse. “E vai continuar por mais 120 anos”, afirmou, sem esconder o entusiasmo.

Marcelo Peres

Compartilhe:​

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Notícias Recentes

Pesquisar