Serviços médicos diversificados

A pandemia conseguiu deixar populações inteiras, no mundo, acuadas dentro de casa, mas quem precisava sair, principalmente para realizar tratamentos de saúde, ou teve que enfrentar o perigo ou contar com atendimento domiciliar. Por isso os profissionais do Grupo Sabin, referência em medicina diagnóstica no país, se apressaram em ficar a par sobre o inimigo, o novo coronavírus e, de imediato, contra-atacaram.

“Desde o início dos primeiros casos identificados no mundo, o Grupo Sabin adotou procedimentos preventivos para contribuir com o controle e evitar a disseminação do novo coronavírus. Foi instalado um comitê de crise multidisciplinar para análise e implantação das ações de enfrentamento à covid-19 na empresa. Além de acompanhar todos os reports da OMS acerca da pandemia, bem como estatísticas de todo Brasil”, contou Ana Pedra, gestora regional do Sabin no Amazonas e Roraima.

O comitê de crise ainda ficou responsável pela análise de impactos e riscos, bem como ações de contingência e adaptação de processos, estruturas internas e externas e, principalmente, gestão de equipes diante da pandemia, além da implantação das ações estratégicas de transformação pós-crise.

Uma dessas ações foi de que forma passar a atender mais pacientes em domicílio, já que os atendimentos presenciais praticamente deveriam escassear, e até permanecer após a pandemia.

“O Sabin já oferece esse tipo de serviço há algum tempo. Nosso pessoal está bem familiarizado com o trabalho, e os equipamentos usados também são de domínio dos colaboradores. Com alguns remanejamentos, aumentamos a equipe de coleta externa e da central de atendimento (agendamento) e conseguimos inclusive ampliar a oferta de horários”, revelou.

Aumento de 40%

Antes da pandemia, estavam entre os clientes da Sabin, da coleta em domicílio, pessoas idosas, pessoas com algum problema de mobilidade ou comorbidade incapacitante ao deslocamento, bem como aquelas que realmente procuram o serviço pelo conforto e comodidade. Com as medidas de isolamento social, outros públicos que ainda não conheciam o serviço viram que da mesma forma poderiam se beneficiar, especialmente doentes crônicos, que precisam de acompanhamento constante.

“Disso resultou um aumento de 40% na coleta externa. Em âmbito geral, tivemos um aumento de 34% no número de novos clientes nesse período”, acrescentou Ana.

O Sabin oferece aos seus clientes um portfólio com mais de três mil exames, e nesse período de quarentena realizou coletas domiciliares para praticamente todos, desde os sorológicos e biológicos até amostras já colhidas, como fezes e urina.

“Fora os testes para covid-19, tivemos oito tipos de exames mais solicitados: Hemograma, TGO, TGP, PTN C Reativa, Creatinina, Uréia, Troponina e D Dímero”, listou.

A empresa também disponibilizou ao público de Manaus cinco unidades para atendimento a exames de rotina e eletivos, e duas unidades específicas para exames da covid-19, além de ter aberto um drive-thru para atenção exclusiva aos interessados nos testes do coronavírus.

As unidades para exames da covid-19 estão localizadas em pontos estratégicos (no Parque 10 de Novembro, e na Praça 14 de Janeiro) para pacientes com sintomas da doença.

“Com o drive-thru, localizado na avenida das Torres, o objetivo é oferecer atendimento ágil e seguro aos pacientes, permitindo que os mesmos façam o teste escolhido sem sair do carro e com o mínimo contato com o colhedor. Inauguramos o serviço em 22 de abril e continuamos o serviço de 8h às 17h, com opção de agendamento e pagamento online, pelo site do Sabin, e por compra direta no local”, explicou.

Desenvolvido em 20 dias

O Grupo Sabin foi um dos primeiros laboratórios do Brasil a desenvolver método próprio para o teste da covid-19, o RT-PCR. Em 20 dias, a equipe de Pesquisa e Desenvolvimento da empresa desenvolveu dentro de seu Núcleo Operacional, em Brasília, o teste molecular na metodologia RT- PCR, considerada padrão ouro para diagnosticar o novo coronavírus. O teste é feito a partir de secreções retiradas das cavidades naso-faríngeas, que devem ser coletadas até o sétimo dia de sintoma. Por meio da técnica de biologia molecular, é verificada a presença do vírus ativo no organismo. O resultado fica pronto em até quatro dias úteis.  

Além do RT-PCR, o Grupo também oferece exames de sorologia IgG e IgM para detecção da produção de anticorpos ao vírus. Os testes sorológicos analisam se o paciente foi exposto ao SARS-CoV-2. O resultado numérico facilita estudar a evolução da quantidade de anticorpos. O ideal é que seja realizado entre o 10º e 12º dia desde os primeiros sintomas. E o resultado sai em até três dias úteis.

Outro tipo de teste sorológico é o exame qualitativo, popularmente conhecido como ‘teste rápido’ ou imunocromatográfico, que identifica igualmente a produção de anticorpos e não o vírus em si. A indicação é que a coleta seja feita a partir do 10º dia de sintoma, e seu grande diferencial é que o resultado sai em no máximo três horas.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email