Senado aprova acordo com Peru em ‘votação simulada’

O Comitê de Finanças do Senado dos Estados Unidos aprovou nesta sexta-feira por maioria, mas em “votação simulada”, o TLC (Tratado de Livre-Comércio) assinado com o Peru em abril de 2006.
O projeto de lei foi aprovado por 18 votos a favor e 3 contra em uma “simulação”, que serve para medir o apoio político para o tratado antes de sua votação definitiva no Legislativo americano.
Depois do ato, a Embaixada do Peru e a Câmara de Comércio Peruana-Americana comemoraram a aprovação do pacto nesta “votação simulada”, pois acreditam que é um bom sinal para a eventual ratificação definitiva do tratado.
A Administração do presidente dos EUA, George W. Bush, promoveu a aprovação do acordo, junto com outros semelhantes com a Colômbia e a Coréia do Sul, mas esbarrou na oposição dos democratas, que pediram mais garantias para os direitos dos trabalhadores e ao meio ambiente.
Os três que votaram contra foram os senadores republicanos Orrin Hatch (Utah) e Jon Kyl (Arizona), e a democrata Debbie Stabenow (Michigan).
No debate, Hatch mostrou preocupação pelo fato de o tratado de comércio possa afetar as leis trabalhistas dos Estados Unidos, mas o republicano Charles Grassley, de Iowa, disse que “nada no projeto de lei para aplicação do tratado – ou o próprio acordo em si – contém cláusulas que requeiram a modificação das leis trabalhistas”.
O Comitê de Meios e Arbítrios da Câmara de Representantes deve fazer sua própria “votação simulada” em 25 de setembro. O acordo comercial assinado entre os EUA e o Peru em 12 de abril de 2006 inclui proteções trabalhistas e ambientais, e prevê a eliminação de barreiras para os investimentos e a troca de bens e serviços.
Depois que a Casa Branca submeter formalmente o projeto de lei para a aplicação do tratado, o Congresso terá 90 dias para realizar a votação final.
O presidente americano George W. Bush, assegurou que vai trabalhar “duramente” para avançar os TCL (Tratados de Livre Comércio) firmados com Peru, Colômbia, Panamá e Coréia do Sul.
Em uma coletiva de imprensa na Casa Branca, o presidente disse que se o Congresso não aprova-los, “será um sinal de que o protecionismo está em alta”. O Comitê de Finanças do Senado americano realizou um “voto de ensaio” para medir o apoio político ao TCL com o Peru.
A representante comercial do governo americano, Susan Schwab, disse na terça-feira que o governo pretende acertar a aprovação dos quatro acordos bilaterais antes das eleições presidenciais, que ocorrem em novembro de 2008. Muitos parlamentares, especialmente democratas, têm criticado a política comercial dos EUA.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email