8 de maio de 2021

Selo de Turismo Responsável tem baixa adesão no Amazonas

O total de registros no Cadastur (Cadastro dos Prestadores de Serviços Turísticos do Ministério do Turismo), no Amazonas, registrou tímidos 16%. O “Selo Turismo Responsável, Limpo e Seguro”, do MTur (Ministério do Turismo), emitiu 234 selos no Estado, após mais de 10 meses de seu lançamento. 

De acordo com a chefe do DRF (Departamento de Registro e Fiscalização), da Amazonastur (Empresa Estadual de Turismo do Amazonas), Giovanna Tapajós, o número está diretamente ligado à intenção de proporcionar um destino seguro para os turistas.

A adesão ao selo, é considerada lenta, talvez receosa pelo momento, “porém, todos que aderiram e aqueles que estão sendo sensibilizados a conhecer e adquirirem o selo responsável do MTur, estão com muito desejo que esta adesão possa fortalecer ainda mais o nosso destino, demonstrando que os prestadores de serviços turísticos estão preocupados em oferecer serviços seguros, obedecendo todos os protocolos de biossegurança, tornando a estada de nossos turistas a mais tranquila e positiva possível”. 

Mas ela reitera que existe um reforço constante do setor por meio de ações coordenadas pela Amazonastur com órgãos fiscalizadores parceiros que levam a estas empresas a importância da regularização. 

“Divulgamos para cada empreendedor sobre o selo responsável do MTur e a importância da adesão ao mesmo como forma de demonstrar responsabilidade aos protocolos de biossegurança, assegurando aos turistas que os estabelecimentos e o profissional guia de turismo atenderá  às exigências do uso de máscara, álcool em gel,  distanciamento, normas estabelecidas quanto às acomodações, higienização dos produtos de cama, mesa e banho, bem como, distanciamento de camas e quantidade de pessoas por estabelecimento”, detalha.

A iniciativa tem surtido efeito, segundo ela,  porque tem sido possível observar  e conhecer como os prestadores  estão trabalhando e a forma que eles estão oferecendo os serviços para os turistas. 

No primeiro semestre do ano passado, no Amazonas, o número de prestadores de serviços cadastrados no sistema aumentou mais de 24%. Foram 395 cadastros validados no sistema. 

Entre os nichos que aderiram ao selo no Amazonas, nestes mais de 10 meses o destaque vai para as agências de turismo (135), os hotéis (21) e as transportadoras turísticas (20). Entre as cidades amazonenses, as empresas da capital, Manaus, de Barcelos e Cruzeiro se destacaram no interesse pela certificação.

Vale lembrar, que o cadastro garante diversas vantagens e oportunidades aos cadastrados e é, também, uma importante fonte de consulta para o turista. É por meio do e-mail, telefone e endereço informados no registro do Cadastur que os turistas entram em contato com os prestadores de serviço.

“O prestador sai do anonimato e da ilegalidade, e usufrui de uma ampla e gratuita divulgação mundial através do Cadastur. Além de poder ter acesso a financiamento em bancos oficiais, programas de qualificação promovidos na modalidade EaD (Ensino a Distância) e gratuitos voltados para suas atividades, apoio em eventos, feiras e ações do Ministério e incentivo à participação em programas e projetos do governo federal”, destaca Giovanna.

Nacional 

Ao todo, o Brasil já ultrapassou a marca de 27 mil selos emitidos por 15 tipos de atividades turísticas, como meios de hospedagem, parques temáticos, restaurantes, cafeterias, bares, centros de convenções, feiras, exposições e guias de turismo. Em quantitativo, os Estados de São Paulo (5.441), Rio de Janeiro (3.798) e Minas Gerais (2.268) permanecem à frente. O documento é um reconhecimento visual e dá credibilidade aos empreendimentos do setor que declararam assumir os protocolos de biossegurança contra a Covid-19 oferecendo, assim, mais segurança e conforto aos viajantes no país.

O ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, reforçou a importância da obtenção deste selo para uma retomada segura do turismo em todo o Brasil. “Fomos pioneiros nesta certificação e agora temos que fazer valer todo esse reconhecimento e trabalho que desenvolvemos. Atenção empresários, vamos aderir ao selo e garantir a segurança sanitária dos nossos turistas, que vão desfrutar das belezas que só o nosso país possui. Estamos juntos nessa!” destacou.

Para solicitar o selo, o estabelecimento precisa apresentar situação regular no cadastro de prestadores de serviços turísticos (Cadastur). Após se regularizar, é preciso acessar o site do Selo Turismo Responsável, ler as orientações e declarar atender aos pré-requisitos determinados. Após esses passos, o interessado é encaminhado para uma área do site onde pode fazer o download do selo para impressão.

Para utilizar o selo em local físico, o empreendedor deve colocá-lo em local de fácil visualização do cliente. O estabelecimento pode oferecer um QR Code para que os turistas verifiquem quais são as medidas adotadas por aquele empreendimento e/ou profissional.

Por dentro 

Obrigatório para sete segmentos: agências de turismo, meios de hospedagem, organizadoras de eventos, parques temáticos, acampamentos turísticos, transportadoras turísticas e guias de turismo. O Cadastur tem como principais objetivos promover o ordenamento, a formalização e a legalização do setor.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email