Seis novos casos suspeitos de rabdomiólise são notificados no Amazonas

Mais seis casos suspeitos de rabdomiólise foram notificados à Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas – Drª Rosemary Costa Pinto (FVS-RCP), nesta quinta-feira (09/09). São três pessoas em Maués, duas em Urucurituba e uma em Parintins. Com as novas notificações, são 61 casos suspeitos de rabdomiólise em dez municípios do Amazonas. A FVS-RCP segue investigando o surto e foi criado um grupo de trabalho para mapear e investigar as regiões com notificações pela força-tarefa do Governo do Amazonas.

Do total de internados, três estão em Maués, um em Itacoatiara, um em Urucurituba e um em Parintins. “Todos os pacientes estão estáveis. Estamos monitorando todos os casos. De qualquer forma, estamos investigando para confirmar as possíveis causas desse surto de rabdomiólise no Amazonas, inclusive com a presença de facilitador do Ministério da Saúde dando o suporte às nossas ações”, detalha a diretora-técnica da FVS-RCP, Tatyana Amorim.

Os seis novos casos notificados por rabdomiólise incluem a ingestão prévia de peixes seguida de sintomas, como palpitação e rigidez muscular, boca seca, náusea, vômitos, dor no tórax, mal-estar, dispneia (falta de ar) e febre.

Segundo a coordenadora do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS/FVS-RCP), Liane Souza, as investigações ainda estão em andamento para traçar o perfil de todos os notificados novos. “Os dois casos de Urucurituba já nos foi notificado e trata-se de uma pessoa do sexo feminino, de 74 anos, e uma do sexo masculino, de 24 anos. De Parintins e de Maués, ainda estamos investigando os detalhes”, informa Liane.

Total de casos 

Até esta quinta-feira, a FVS-RCP registra 37 em Itacoatiara (sendo um óbito), quatro em Silves, quatro de Borba, quatro em Parintins, quatro em Maués, três em Manaus, dois em Urucurituba um em Manacapuru, um em Caapiranga, um em Autazes.

Análise laboratorial 

Durante a força-tarefa do Governo do Amazonas, da qual a FVS-RCP é integrante, para acompanhar in loco a ocorrência de casos em Itacoatiara (a 176 quilômetros de Manaus), foram coletadas amostras da água dos rios que banham os municípios notificadores dos casos, de peixes contaminados, de frutos que ficam dentro da água dos rios e servem de alimento para os pescados; além de amostras de sangue e de soro dos pacientes hospitalizados pela síndrome.

Os materiais foram encaminhados ao Laboratório Central de Saúde Pública da FVS-RCP (Lacen/FVS-RCP) para analisar e identificar quais dos materiais podem estar incluídos na cadeia de contaminação.

Grupo de Trabalho

Na manhã desta quinta-feira, uma reunião virtual foi realizada com especialistas de diversas instituições da esfera estadual, da força-tarefa do Governo do Amazonas, para identificar causas e formas de combate.

As instituições definiram a criação de um grupo de trabalho para mapear e investigar as regiões onde estão os municípios notificadores de casos suspeitos de rabdomiólise. Outra reunião sobre o assunto está prevista para ser realizada nesta sexta-feira (10/09).

Além da FVS-RCP, participam da força-tarefa a secretaria de Estado de Saúde (SES-AM); Fundação de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD); Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (Adaf); Secretaria de Estado da Produção Rural (Sepror), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária e Superintendência Federal de Agricultura no Amazonas, do Ministério da Agricultura; e Ministério da Saúde.

Referência 

A FVS-RCP é responsável pela Vigilância em Saúde do Amazonas. A instituição funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, na avenida Torquato Tapajós, 4.010, Colônia Santo Antônio, Manaus. Contato telefônico da FVS-RCP (92) 3182-8550 e 3182-8551.

FOTO/DESTAQUE: Kássio Moraes/FVS-RCP

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email