8 de maio de 2021

Meu dia a dia de trabalho é muito voltado para desenvolvimento de lideranças, construção de cultura organizacional para gestão de pessoas com criatividade, inovação e ambiente colaborativo, construção de caminhos para crescimento profissional e demais ações ligadas.

Frente a todo o cenário em que vivemos, todos os desafios pessoais que estamos enfrentando, com ausência de saúde física ou emocional para muitos,  o luto para tantos outros, inseguranças e incertezas para praticamente todos nós, é vital encontrarmos lugares e pessoas que representem saúde, suporte emocional, força e outros recursos que contribuam para mantermos o máximo positivo e favorável nosso ambiente.

Dentre tantos temas relevantes para este contexto, tenho percebido a importância que é entendermos e aplicarmos mais a Segurança Psicológica, para criarmos uma cultura em que as pessoas possam se sentir abertas para compartilhar suas ideias, propor alternativas para resolver problemas, mostrar suas dificuldades, apresentar suas fragilidades e outras ações para se sentirem livres para ser quem são, e assim contribuírem de maneira inteira com o todo. Esse é um caminho positivo hoje e em demais momentos da nossa vida.

Imagine-se convivendo com pessoas que permitam uma atuação colaborativa capaz de te dar liberdade para realmente manifestar quem você é, com seus pontos fortes e suas oportunidades de melhoria?

Imagine-se interagindo com equipes que conflitam suas ideias com olhar positivo sobre as divergências, diferenças pessoais, perspectivas diferentes e encontram soluções colaborativas e coesas para o comprometimento coletivo, sem medo ou receio de falarem o que pensam porque o foco é a solução?

Imagine-se tralhando em uma organização onde exista a preocupação de todos chamarem a responsabilidade para busca de fazer o melhor que podem, em uma atuação colaborativa e orientação para inovação, onde todos aprendem com todos, e as soluções podem surgir de qualquer lado porque existe a real abertura para aprender, desaprender e reaprender?

Certamente não conseguirei, e nem esta é a intenção deste artigo, conceituar Segurança Psicológica, mas quero fazer você refletir como o vinculo com o trabalho e a atuação profissional ocupa muito espaço em nosso tempo, muitas horas em nossas agendas e muitos compromissos com o que precisamos fazer, construir relações que favoreçam este clima pode despertar seres humanos para mais saúde, e como estamos precisando de saúde nestes tempos.

Diante disso, a Segurança Psicológica é o estado do ser, onde os membros da equipe acreditam que podem correr riscos sem serem inseguros ou constrangidos. É conseguir fazer com que todos da equipe tenham a verdadeira harmonia e sentimento de pertencer, através de uma base sólida de confiança e interação, estruturando assim o trabalho como desafios de aprendizados.

Pense comigo: 

O medo de compartilhar ideias desfavorece feedback honesto e elimina muitas das possibilidades de observarmos as situações do dia a dia com foco em soluções.  Quantas equipes vivem esta realidade? 

O receio de ser julgado desfavorece as pessoas apresentarem suas dificuldades reais e muitos deixam de pedir ajuda ou dizerem que estão com problemas para não serem expostos. Quantas pessoas se sentem assim?

Buscar a Segurança Psicológica favorece pessoas e consequentemente equipes a assumirem riscos, não terem medo de falhar, estarem abertas para tentar algo novo, não terem problemas em mostrar a sua vulnerabilidade e muitas outras ações que geram ambientes organizacionais favoráveis para os desafios atuais, gerando bem-estar para os que estão conectados com a empresa e por consequência com resultados tangíveis.

Podemos considerar 4 aspectos da Segurança Psicológica, a saber:

1 – Segurança em se expressar: é seguro para os membros da equipe se pronunciarem, exporem problemas, trazerem ideias e questionarem o status atual. 

2 – Segurança em interagir: é seguro para os membros da equipe pedirem ajuda, engajarem em conversas difíceis, dar e receber feedback, começarem e manterem diálogos com os colegas.

3 – Segurança em aprender: é seguro para os membros da equipe fazerem perguntas, inovarem e aprenderem com os erros.

4 – Segurança em pertencer: os membros da equipe sentem-se apoiados e valorizados e que ninguém irá prejudicá-los ou rejeitá-los deliberadamente.

Estimulo com estas poucas linhas você ler mais sobre o assunto e encontrar formas de implantar esta segurança em sua casa com sua família, no seu trabalho com seus colegas de atividade profissional e demais relações. Estamos precisando de saúde e toda forma de encontrá-la, manifestá-la e propagá-la, será sempre bem-vinda.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email