16 de abril de 2021

Secretário de C&T apresenta à Suframa ações implementadas pelo governo

Consultores encarregados da revisão do planejamento estratégico da autarquia solicitaram reunião com a Sect com o objetivo de colher subsídios

“As ações que o governo do Estado vêm desenvolvendo de forma integrada entre secretarias e instituições, no âmbito da C&T, apontam claramente para uma perspectiva de política de Estado, tornado o momento muito significativo para compreendermos que a Amazônia não é um problema para o Brasil, é uma solução”.

Com essas afirmações, o secretário de Estado da Ciência e Tecnologia, José Aldemir de Oliveira, encerrou a sua apresentação sobre os indicadores de C&T no Amazonas para consultores encarregados de elaborar a revisão do PE (planejamento estratégico) da Suframa (Superintendência da Zona Franca de Manaus), em reunião ocorrida na manhã de ontem, na Sect.

Essa revisão está sendo coordenada pelo professor Mauro Thury Vieira da Sá, da Ufam (Universidade Federal do Amazonas), no âmbito do projeto Arara. A reunião na Sect foi solicitada com o objetivo de conhecer as principais ações do órgão no Estado e colher subsídios e sugestões para a elaboração do documento que vai nortear as ações da Suframa para os próximos quatro anos.

De acordo com o coordenador-geral de Estudos Econômicos e Empresariais da Suframa, José Alberto Machado, as propostas serão avaliadas durante o Seminário do Amazonas, previsto para o mês de dezembro.

“Como estamos trabalhando na revisão do planejamento estratégico de uma autarquia que abrange não apenas o Amazonas, mas também outros Estados, temos interagido com vários setores da sociedade. Essa reunião de ontem, com o secretario José Aldemir, foi para colhermos informações sobre como o sistema estadual de C&T pode nos auxiliar nessa tarefa, fornecendo dados importantes sobre o Amazonas”, afirmou José Alberto Machado.

Para ele, é fundamental ouvir pessoas qualificadas sobre questões que preocupam a todos no Estado, como o futuro do modelo ZFM (Zona Franca da Manaus). “Uma opinião qualificada que nós podemos perceber, no âmbito do governo do Estado, está no sistema de C & T, formado pela Sect, UEA (Universidade do Estado do Amazonas), Fapeam (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas) e Cetam (Centro de Educação Tecnológica do Amazonas)”, completou o coordenador.

Na opinião de Machado, “esse sistema reúne um grupo de intelectuais vigorosos, comprometiddos com a região e com uma leitura consistente da realidade e que estão tendo êxito em suas ações de fomento à pesquisa e a formação”, destacou.

O diretor-presidente da Fapeam, Odenildo Sena, falou do investimento de R$ 106 milhões em menos de cinco anos em C&T, com ênfase na formação de recursos humanos. “Nós estamos verticalizando as ações da Fapeam no que tange à formação de novos mestres e doutores na região. Temos participação em todos os programas de pós-graduação no Estado, via Fapeam, porque precisamos correr atrás do prejuízo”, disse.

Sena salientou que, em 2008, deverão ser titulados 200 novos doutores com apoio da Fapeam. “Isso parece pouco, mas, na verdade, é muito, se considerarmos o número de doutores hoje nas instituições de ensino e pesquisa”, disse.
O consultor do projeto Arara, Tadao Takahashi, disse que a Fapeam e a Sect são essenciais em todo o planejamento estratégico na região, “pois são propulsoras das condições que precisamos criar, principalmente quanto à formação de recursos humanos”, informou.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email