5 de julho de 2022
Prancheta 2@3x (1)

Se liga: tem muita cultura no feriadão; escolha uma e agende!

O feriado da Semana Santa será culturalmente bem movimentado, em Manaus, com a apresentação no sábado (16), do Abner Viana Quinteto, pelo YouTube, para quem quiser ouvir música de qualidade sem sair de casa. No domingo (17), a partir das 8h, depois de dois anos, acontece o retorno do projeto Pintura ao Vivo no Largo, no Largo de São Sebastião, idealizado e organizado pela artista plástica Rosa dos Anjos.

Abner Viana é clarinetista e arranjador. Gosta de fazer experimentações já tendo formado duos, trios, quartetos e agora o quinteto, sua primeira experiência com formação clássica reunindo, além dele, os músicos Cláudio Abrantes (flauta/piccolo), Célio Vulcão (piano), Adriana Velikova (violoncelo), e Andrio Dias (vibrafone/percussão).

Música de qualidade, com o Abner Viana Quinteto, e exposição das obras da nata dos artistas plásticos amazonenses

“No curta metragem, o primeiro de música instrumental produzido na Amazônia, iremos apresentar uma releitura da obra ‘Soirée Brésilienne’, do compositor carioca Henrique Alves de Mesquita (1830-1906). Descendente de escravos, Henrique Alves foi compositor, maestro, trompetista e pianista”, disse.

Busto no Teatro

“Resolvi fazer esse tributo a Henrique Alves pela sua importância, no seu tempo, para a música, tanto que o busto dele é um daqueles que ornamenta a frente do Teatro Amazonas, lá no alto. Apesar dele ter vivido numa época onde imperava a música clássica, Henrique foi contemporâneo dos primórdios do choro, sendo algumas composições suas uma mistura do clássico com o futuro choro, que na época se chamava quadrilha”, contou.

Na ‘Soirée Brésilienne’ cinco movimentos (quadrilha, valsa, rondó) compõem a obra como um todo. São cinco miniaturas escritas originalmente para o piano, mas com arranjos, não só para o piano como para os demais instrumentos, feitos por Abner.

“Refleti que essas peças poderiam ser reinterpretadas, com novas ideias musicais”, esclareceu.

O curta-metragem foi gravado ano passado, no Teatro Amazonas. O trabalho apresenta os haicais do livro ‘Outros ventos’, da artista Ruth Jucá que gentilmente cedeu os escritos especialmente para o curta. Os haikais possuem perfeita sintonia com as imagens, pois têm a ver com as raízes da belle époque amazonense.

O projeto do curta foi patrocinado pela Samel, SMC (Arquitetura & Design de Interiores), e Loppiano Pizza, com o apoio da Secretaria de Cultura, que cedeu o palco do Teatro Amazonas para as gravações; e da CTP, que concedeu os figurinos. O projeto envolveu diretamente 17 pessoas, entre músicos e equipe de produção.

A exibição de ‘Soirée Brésilienne’ será às 10h pelo canal Windsavner.

Padrinho de peso        

No domingo, depois de dois anos sem ser realizado, devido à pandemia, o projeto Pintura ao Vivo no Largo está de volta. Idealizado pela artista plástica Rosa dos Anjos, depois de ver algo parecido numa praça, em Paris, o projeto começou ‘na marra’, em 2014.

“Naquela época, quem quisesse expor algo no Largo, mesmo artista, era convidado a se retirar pelos seguranças, então convidei Moacir Andrade, para ser o padrinho do projeto, e mais 150 artistas plásticos e colocamos nossa arte no Largo. Só a partir de então passamos a ser respeitados naquele espaço, que é público”, falou Rosa dos Anjos, presidente da Associação de Cultura do Estado do Amazonas.

Desde então o Pintura ao Vivo no Largo nunca mais deixou de ser realizado, só parando devido à pandemia, em 2020 e 2021.

Rosa dos Anjos viu em Paris e trouxe a ideia para Manaus

As atividades com a participação de pintores, escultores, grafiteiros, músicos, artistas circenses, fotógrafos, poetas e desenhistas vão acontecer sempre aos domingos, das 8h às 12h, nos dias 17 e 24 de abril e 1º e 8 de maio.

“Aqui estará reunida a nata das artes plásticas amazonenses como Noleto, Homero Amazonas, Luiz Antônio, Eduardo Careca, Marius Bell, Nonato Cruz, que estiveram desde a primeira edição, e artistas mais novos”, adiantou.

Aberto a todos

Diversos momentos marcaram o projeto e transformaram a vida de inúmeros artistas, que ganharam visibilidade e conquistaram espaço de destaque em exposições nacionais e internacionais. Este ano, pela primeira vez, todos os 80 participantes serão remunerados.

“É importante que o público, tanto moradores de Manaus quanto turistas, tenha acesso à produção artística local”, falou a artista plástica.

“O espaço é aberto para qualquer artista plástico. Estes que serão remunerados atenderam ao nosso chamado e participaram da reunião para a organização das quatro exposições entre abril e maio, mas quem quiser chegar lá com sua tela, tintas e pincéis, será bem-vindo”, afirmou.

Todos os trabalhos expostos estarão à venda e para enfrentar os dias instáveis da temperatura de Manaus, Rosa dos Anjos apresentará um guarda chuva no formato da cúpula do Teatro Amazonas, que durante as exposições servirá de proteção para as obras de arte caso São Pedro resolva mandar um temporal, ou mesmo uma simples chuva, cair sobre o Largo.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Anúncio

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email