27 de maio de 2022

Covid testa capacidade de sistema

A Covid-19 volta a desafiar a rede de saúde no Amazonas. Um ano após a crise de oxigênio, que deixou um rastro de mortes, um novo pico de contágios já lota hospitais no Estado. Os casos proliferam na capital e nos municípios do interior. Não só o coronavírus preocupa. As síndromes gripais surgem também desafiadoras. A situação é tão grave que o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, vem acompanhar de perto a situação. Ele deve desembarcar nesta segunda-feira (17) em Manaus, dia em que começa a vacinação de criança de 5 a 11 anos.

Os conselhos de medicina e enfermagem se mobilizam. Muitos profissionais de saúde contraíram o vírus. E foram afastados dos trabalhos. O segmento reclama das unidades superlotadas, criando ambiente propício para a disseminação da doença, com a possibilidade de voltarmos a vivenciar o mesmo cenário das duas últimas ondas nas quais muitos médicos e enfermeiros morreram no enfrentamento à pandemia. O prefeito de Manaus, David Almeida (Avante), anunciou a contratação de 500 novos profissionais para suprir as necessidades neste momento em que a Covid-19 se dissemina.

Impunidade

Familiares de pessoas que morreram durante as duas ondas da pandemia continuam exigindo justiça. Ainda hoje esperam que sejam punidos eventuais culpados pela crise no sistema de saúde que matou milhares de pacientes por falta de assistência médica. A impunidade grassa. Superlotados, os hospitais entraram em colapso, tanto da rede pública como da iniciativa privada.  Investigações apontam fraudes nos recursos destinados pelo governo federal para o enfrentamento à crise sanitária. Que não vejamos de novo um remake deste filme.

Serviços

Órgãos retomaram os serviços de forma remota por conta da explosão dos casos de Covid-19 no Amazonas. O Tribunal de Justiça e o Tribunal Regional Eleitoral autorizaram os atendimentos online. Em Brasília, o STF também aderiu à prática, que deve ser seguida por outras unidades do funcionalismo público. A estratégia é evitar que aconteça a mesma coisa com médicos e enfermeiros. Muitos profissionais de saúde estão afastados dos serviços por terem contraído o coronavírus.

Proibição

Os cortes de água e energia estão proibidos até 11 de fevereiro deste ano em Manaus, segundo o advogado Edigley Oliveira. Ele disse que a proibição ainda está em vigência em razão da validade do Decreto Municipal nº 5.124, de 11 de agosto de 2021, que estendeu o estado de emergência por mais 180 dias por conta da Covid-19. Em outras palavras, as concessionárias não podem suspender os serviços por causa de inadimplência. Mas elas nem sempre cumprem as determinações.

Legado

O poeta Thiago de Melo, que morreu na sexta-feira (14), deixou grandes legados, valorizando a vida e a Amazônia, segundo ressaltam escritores. O escritor amazonense Elson Farias, amigo próximo, conta que Thiago ainda adolescente foi para o Rio de Janeiro estudar medicina, mas escolheu a literatura. “Lá, em contato com grandes poetas, como Manuel Bandeira, que foi o seu grande amigo, ele desenvolveu a sua técnica”, relata. 

Indústria

A produção industrial perde fôlego. Segundo o IBGE, das 15 regiões que tiveram a produção pesquisada, oito apresentaram queda na passagem de outubro para novembro de 2021. No período, o índice nacional variou -0,2%. Os maiores recuos ocorreram no Amazonas (-3,5%), Ceará (-2,5%) e Rio de Janeiro (-2,2%). As maiores altas foram em Mato Grosso (14,6%), Santa Catarina (5,0%) e Pará (3,5%). E podemos esperar mais arrocho agora com a explosão de casos de Covid-19.

Pesquisa

Uma nova pesquisa coloca Lula na preferência do eleitorado. Segundo o levantamento Ipespe, encomendado pela XP Investimentos, o petista segue na liderança do primeiro turno eleitoral para a presidência da República em 2022 com 44% das intenções de voto, tendo uma vantagem de 20 pontos em relação ao presidente Jair Bolsonaro (PL), o segundo colocado (24%), os mesmos índices dos dados divulgados em novembro. Veremos se essas estatísticas serão confirmadas nas urnas.

Chuvas

As chuvas continuam causando estragos e transtornos no Amazonas. A de sexta-feira (14) causou o transbordamento de igarapés, inundando casas na periferia de Manaus. Foram mais de cinco horas de temporal que varou a madrugada e só foi parar por volta das 11 horas. A Defesa Civil e o Corpo de Bombeiros receberam centenas de chamados. Muitas pessoas perderam seus pertences e ficaram desabrigadas.

Violência

A violência também não dá trégua em Manaus. Todos os dias acontecem execuções na capital, provavelmente por acertos de contas entre traficantes e facções criminosas. A polícia só chega depois dos assassinatos – só para notificar o caso e encaminhar os documentos para os meios legais. Falta um setor de inteligência na segurança pública que possa prever e abortar essas ocorrências. O aparato policial parece estar refém, sem poder fazer nada para coibir esses homicídios.

FRASES

“Estamos traçando estratégias”.

Anoar Samad, secretário de Estado da Saúde, sobre as novas ações de enfrentamento à pandemia.

“Eleger Lula ou Bolsonaro é suicídio”.

Sérgio Moro (Podemos), ex-juiz e candidato à presidência da República.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Anúncio

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email