Sabin implanta economia de água

Empresa de Manaus adota medida para uso racional da água

Em meio às preocupações sobre o uso racional da água, o país desperdiça em média 37% do recurso tratado, conforme o levantamento do SNIS (Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento), ligado ao Ministério das Cidades. O estudo foi divulgado no final de janeiro, baseado em dados de 2013. O caso é mais grave na região Norte, com indicadores de perdas que chegam a 50,8%. Somente o Amazonas aparece com desperdício de 40,7% da água tratada.
Diante do cenário preocupante, empresas instaladas em Manaus promovem ações para garantir a economia de água e a preservação das nascentes dos rios. É o caso do Laboratório Sabin. Na capital amazonense desde 2012, o empreendimento desenvolve projetos para reduzir o consumo de água em suas unidades.
De acordo com o gerente de Sustentabilidade do Laboratório Sabin, Antonio Leitão, a empresa é a única do segmento no Amazonas que tem seu sistema de gestão ambiental certificado conforme a norma ISO 14001, que estabelece diretrizes para o desenvolvimento e a prática de políticas sustentáveis, levando em consideração aspectos ambientais influenciados e controlados pela organização. “Além da gestão de impacto de todos os nossos processos, adotamos medidas para o uso racional dos recursos naturais”, destacou.
Entre as medidas adotadas pela empresa para garantir o bom uso da água estão lavagem e desinfecção das caixas d’água de todas as unidades garantindo a potabilidade; implantação de torneiras de acionamento mecânico para regular a quantidade de água, permitindo uma economia de 22L/dia de água por colaborador; e um Programa de Monitoramento de Uso de Água nas unidades, no qual é medida a quantidade de água usada nos processos do laboratório por unidade de negócio.
“Estabelecemos metas de consumo que são monitoradas mensalmente, permitindo o acompanhamento do uso racional. Para isso, mantemos nossos colaboradores mobilizados pelo programa de educação ambiental em prol do uso consciente deste recurso”, frisou o gerente. No ano passado, as unidades conseguiram uma redução de 10% no consumo de água.
Já para evitar a poluição dos mananciais de água doce, a empresa desenvolveu uma metodologia própria para tratamento de efluentes dos equipamentos que realizam exames, com a prévia análise antes do lançamento na rede coletora de esgotos.
As ações fazem parte de um pacote de práticas e medidas adotadas pela empresa como signatária do Pacto Global da ONU na disseminação de práticas e políticas de sustentabilidade social, ambiental e econômico-financeira.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email