Rodada internacional é oportunidade para MPEs exportarem

BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento), Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio à Micro e Pequena Empresa), CNI (Confederação Nacional da Indústria) e Apex-Brasil realizam, entre 22 e 26 de junho, uma rodada internacional de negócios para micro, pequenas e médias empresas do segmento de alimentos e bebidas. De acordo com o CIN (Centro Internacional de Negócios) da Fieam, a iniciativa abre perspectivas de internacionalização de negócios para pelo menos 20 empresas do Amazonas.

A rodada virtual internacional, chamada de Business Connection Brazil: food & beverage, é um dos desdobramentos da Connectamericas.com, plataforma de negócios gratuita, criada pelo BID, para fomentar o comércio exterior e investimentos internacionais de mais de 300 mil empresários da América Latina e Caribe, cadastrados na realização de mais e melhores negociações internacionais.

“Seremos responsáveis pela mobilização das empresas do setor de alimentos e bebidas, e isto será uma oportunidade dos empresários amazonenses desses setores oferecer seus produtos a um público mais amplo. Principalmente a indústria do pescado, da polpa de fruta, da castanha e de chocolates, entre outros”, adiantou o gerente executivo do CIN da Fieam (Federação das Indústrias do Estado do Amazonas), Marcelo Lima.

Pelo menos cinco empresas do segmento de pescados, localizadas em Tefé e nos arredores da rodovia Manoel Urbano (AM-070), que liga Manaus a Iranduba, Manacapuru e Novo Airão, devem ser procuradas ainda nesta semana. Duas delas já exportam para Emirados Árabes e China, mas a ideia é ampliar o foco destes e outros empreendimentos que não vendem para o exterior, incluindo os mercados europeu e do Oriente Médio no leque.

Para mapear potenciais participantes ainda não conhecidos pela entidade, o CIN-AM contará com a participação da OCB-AM (Organização das Cooperativas do Estado do Amazonas). “Há, por exemplo, em torno de 50 frigoríficos no interior que só vendem para o mercado interno, talvez por desconhecimento do potencial”, apontou.

Modelo virtual 

O Business Connection Brazil: food & beverage é uma oportunidade dos fornecedores se conectarem com compradores de toda a América Latina, além dos Estados Unidos, Índia, Emirados Árabes e Canadá. É a primeira vez que o evento se dará no modelo virtual em função da pandemia global da Covid-19, que afeta o Brasil e diversas outras nações do mundo.

“Nesse processo, as empresas inscritas serão avaliadas e selecionadas para participar. Trazer pessoas em eventos como esse, além de gerar custos elevados para os envolvidos, além de ser um risco de saúde elevado, diante da disseminação do novo coronavírus. Essa modalidade de rodada de negócios virtual é uma boa ideia e será adotada até a regularização da pandemia”, comentou.

Marcelo Lima informa que o CIN-AM vai sugerir novas rodadas incluindo outros segmentos com potencial significativo para o Amazonas, a exemplo dos cosméticos e de beneficiamento de madeira para acabamentos da construção civil. De acordo com o dirigente, há pelo menos sete empresas amazonenses atuando no primeiro subsetor, e outras seis no segundo, sendo toda de micro e pequeno porte. 

Beneficiados em alta

As micro, pequenas e médias empresas respondem por 70% dos exportadores segundo estudo do Sebrae de 2019, principalmente na indústria. Mais de 40% das empresas exportadoras brasileiras são micro e pequenas, que foram responsáveis por US$1,2 bilhões em vendas externas, em 2018. A instituição não dispõe de números para o Amazonas.

Dados do portal Comex Stat, no entanto, apontam que, embora ainda irrisórias e não passando da 37ª posição no ranking de produtos ‘made in’ Amazonas remetidos estrangeiro, peixes congelados do Amazonas contam com vendas crescentes. A alta foi de 743,16% no acumulado até abril, passando de US$ 60.215 (2019) para US$ 507.711 (2020). A maior parte da remessa foi para a Colômbia, mas EUA e China, entre outros, também compraram.

Processo de seleção

As empresas que quiserem participar do evento este ano podem se inscrever gratuitamente, até 19 de junho, na plataforma e no site bcbrazil.com. Em uma segunda etapa haverá um processo de seleção dessas empresas, de acordo com uma avaliação da sua capacidade de exportação e o grau de correspondência com as demandas dos compradores.

As instituições brasileiras que atuam na organização do evento fazem parte do PNCE (Plano Nacional da Cultura Exportadora). Sebrae, a CNI e a Apex-Brasil são responsáveis por conduzir as ações voltadas às empresas do setor de alimentos e bebidas. Independentemente do porte, todos os segmentos terão uma grande oportunidade de expandir suas atividades e buscar novos negócios fora do país.

Fonte: Marco Dassori

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email