Rock é muito mais que estilo de vida, também é oportunidade de negócios

Interessante como uma única pessoa é capaz de ser uma engrenagem que dá início à movimentação de várias outras. Quando, em 1954, o adolescente, Elvis Aaron Presley, então com 19 anos, gravou uma única música, misturando o country com o blues, jamais imaginou que estaria criando o rock, que influenciaria jovens no mundo todo, faria surgir um estilo de vida, logo percebido pelas empresas americanas, e desde então geraria bilhões de dólares, somente nos Estados Unidos.

O Brasil também fatura alto com o jeito roqueiro de ser, principalmente indo na onda dos grupos de rock americanos, ingleses e alguns brasileiros.

Quem passa pela avenida Getúlio Vargas, mal consegue ver a portinhola de entrada da Falcon’s Piercing Tatoo, mas ao transpor a portinhola, abre-se o mundo do rock’n roll. A loja é imensa, ainda com um mezanino, e produtos a perder de vista. É a loja mais antiga, no segmento, em Manaus.

“Sempre gostei de rock e, há 18 anos, abri a Falcon’s, aqui neste mesmo espaço, onde estou até hoje”, lembrou Fernando Martin, proprietário do estabelecimento.

Dos produtos que mais se destacam, as camisas estão em primeiro lugar com estampas das bandas clássicas Metallica, Led Zeppelin, AC DC, Rolling Stones, Iron Maiden, The Who, Nirvana, The Doors, Ramones, Pink Floyd, Black Sabbath, Kiss, Queen e Scorpions. As não clássicas também têm espaço, com a Guns n Rose, Red Hot Chili Peppers e System of a Down. Do Brasil, disparado, Raul Seixas se destaca, mas divide a fama com a Legião Urbana e Charlie Brown Jr. Janis Joplin é a representante feminina, junto com Amy Winehouse e seus blues. Elvis, quem diria, perdeu espaço, mais ou menos o que acontece com os Beatles. Até Bob Marley está bem na estampa, pegando carona com o rock.

Mas nem só de camisas vive o comércio do rock. As vitrines da Falcon’s estão repletas de pulseiras e colares imitando correntes, e até espartilhos. “Para as roqueiras mais ousadas”, completou Fernando.

As plataformas de Carmem Miranda

A Ralf Tattoo, que também como a Falcon’s coloca piercings nos interessados, da mesma forma tem duas portinholas, duas porque são duas lojas, uma na Getúlio Vargas, já há cinco anos, e outra na Sete de Setembro, há oito anos.

“Sim, o segmento é muito bom”, garantiu Daniela Costa Silva, proprietária da Ralf, por sinal, Ralf é seu marido, ele sim, um autêntico roqueiro, inclusive nas roupas que usa.

Nos espaços das duas compridas lojas não há mais lugar para expor mais nenhum produto, de tantos que já ocupam as prateleiras. Camisas, nem se fala.

“São milhares de itens, dezenas de variedades de alguns deles”, falou Daniela.

Além das camisas, colares, braceletes, pulseiras e anéis. Ainda tem as xícaras, almofadas, toucas, bolsas, mochilas, gargantilhas (e não coleiras, hein), e os cintos com extravagantes fivelas destacando as bandas ou os símbolos mais característicos do rock: caveiras e imagens diabólicas. Raul Seixas não cantou que ‘o diabo é o pai do rock’?, e Ozzy Osbourne não arrancou a cabeça de um morcego com a boca?, sem falar das vozes cavernosas dos cantores de metal ou de certas letras de músicas onde santo nenhum é bem vindo.

Agora o que chama a atenção mesmo na Ralf Tatoo são os coturnos, muitos com salto plataforma (e olha que quem inventou o salto plataforma foi a nossa querida Carmem Miranda sem saber que influenciaria a banda Kiss mais de dez anos depois de sua morte). Tem coturno para todos os gostos, masculinos e femininos, de couro legítimo, para quem estiver disposto a gastar entre R$ 300, e R$ 500.

Para quem não é roqueiro, mas gosta do estilo, aí tem os bonés com os nomes das bandas, jaquetas, moletons e até vestidos. Ah, e ainda tem as miniaturas, principalmente para colecionadores.

Apenas gostam de rock

Piticas une o universo geek e o rock n' roll para atrair seus clientes
 

“A Piticas Store é uma loja de camisetas voltadas para a cultura pop e geek”, explicou Ingrid Mineiro, há três anos franqueadora da Piticas, proprietária de dois quiosques, um no Manauara e outro no Millennium, além de uma loja no Amazonas Shopping, “a maior loja da franquia Piticas no Brasil”, destacou.

“Dentro do universo da cultura pop e do geek, não poderia faltar o rock. Das mais de 160 estampas exclusivas de camisas da Piticas, ao menos dez são de bandas de rock, e vendem bastante”, garantiu.

O foco da rede está em design pop e geek, com referências musicais, de séries, cinema, personagens, desenhos, entre outros. Além de desenvolver estampas exclusivas, a Piticas conta ainda com diversos produtos licenciados de marcas conhecidas, como Marvel Comics e Disney.

“Todos os nossos produtos têm boa saída, entre jovens e adultos, quanto às nossas camisas, não são para roqueiros, mas para quem gosta de rock, ou de determinadas bandas clássicas. É um público que sempre se renova”, revelou.             

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email