Ricardo Nicolau é o novo presidente da ALE

A vitória de Ricardo Nicolau (PRP) à presidência, anunciada ontem, 1º, na ALE (Assembleia Legislativa do Estado), não foi nenhuma surpresa, já que antes mesmo do pleito já era possível saber o resultado favorável para a base governista. Conquistando 18 votos a mais que seu opositor Luiz Castro (PPS), ele agora ocupa o cargo mais importante do Legislativo no Estado.
Nicolau contou com o apoio de todos os parlamentares de sua base. E conseguiu até a retirada da candidatura de Belarmino Lins (PMDB), que há seis anos consecutivos esteve no comando da Casa. “Belão” comentou que sua desistência foi com o objetivo de dar espaço e credibilidade para o processo democrático, embora sua imagem também tenha sido ‘desgastada’ nos últimos dias.
Em seu discurso, Nicolau prometeu modernização da Assembleia, além da valorização dos servidores. O novo presidente disse que pretende mediar a união dos Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário, e que levará as ações da Casa para junto da sociedade, incluindo os municípios do interior.
“A presidência será um instrumento que usarei para contribuir na administração da Casa, criando melhores condições para deixá-la mais próxima da população. Queremos que os Poderes se integrem, na tentativa de sanar os problemas enfrentados pela população do Estado, que muito ganhou, mas ainda precisa da transparência e seriedade de nós políticos”, pronunciou.
O parlamentar falou também que pretende trabalhar em prol da realização de concurso público, para os cargos que hoje são ocupados por comissionados. “O concurso é uma dívida que temos. Só com sua realização poderemos obter a credibilidade há tempos perdida. Não é mais aceitável que o Legislativo se veja envolvido em tantos escândalos por conta de contratações indevidas”, esclareceu, ressaltando que uma de suas principais prioridades será a implantação das ISSO’S 14000 e 9000, para adequar a Assembleia nas certificações ambientais e de qualidade.
Sobre as denúncias de uso indevido do sistema de bolsas de estudos destinadas a funcionários da Casa, ele afirmou acreditar que não existe mais nenhuma ilegalidade, já que a existência de parentes na lista de beneficiários se deu, segundo ele, antes da Lei Federal que proíbe o nepotismo por parte dos parlamentares. “Vamos priorizar para que essas bolsas sejam utilizadas apenas por nossos funcionários, em principal os efetivos, concursados”, frisou.
De acordo com Nicolau, já na próxima quinta-feira, 3, as 16 Comissões Técnicas começarão a ser formadas. “Depois de compostas, elas terão cinco dias para elegerem seus presidentes. Mas acredito que no mesmo dia poderemos encerrar este processo, para que possamos entrar no ritmo normal de trabalho”, salientou.

Vanessa Grazziotin vai em busca de recursos para obras no AM

Ao tomar posse nesta terça (1ª), no plenário do Senado, a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB) diz que vai se empenhar “ao máximo” para ajudar o governador Omar Aziz (PMN) a realizar obras no Amazonas. “Há uma expectativa muito grande para que eu e o ex-governador Eduardo Braga, eleitos na mesma chapa, possamos contribuir com a aplicação de recursos nos programas estruturantes que estão mudando a realidade do nosso Estado”, disse a senadora. Nesta quarta (2), a parlamentar pode ser confirmada na 2ª Secretaria da Mesa Diretora do Senado.
Segundo ela, uma das prioridades é ajudar o governador Omar a dar celeridade a programas como o Prosamim (Programa Social e Ambiental dos Igarapés de Manaus) e a Escola de Tempo Integral. “Isso tanto na capital quanto no interior”, diz
Outra demanda importante, na opinião dela, serão as obras de infraestrutura para a realização da Copa do Mundo de 2014 em Manaus. “Será preciso trabalhar muito para preparar a cidade com a construção da Arena Esportiva, o monotrilho, revitalização do Centro, Porto de Manaus e a ampliação do Aeroporto Internacional Eduardo Gomes.

Amazônia está na pauta de Vanessa

Além das questões nacionais como a realização das reformas tributária e política, Vanessa afirmou também que vai trabalhar o tema Amazônia no Senado, assim como fez nos três mandatos de deputada federal. “Nós temos um grande desafio de levar o desenvolvimento sustentável para a região.”
Propõe que a União, de forma emergencial, remunere pessoas, estados e municípios que estão mantendo suas florestas preservadas.
“Não só remunerar, mas garantir também que as pesquisas sejam desenvolvidas e que a gente possa ter produtos com valor agregado e, assim, melhorar a qualidade de vida daqueles que são os vigilantes da maior riqueza natural do Brasil”, argumentou.
A senadora chegou ao posto após uma apertada vitória sobre o tucano Arthur Neto nas últimas eleições.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email