Apesar dos percalços nos dois primeiros trimestres do ano, o comércio de Manaus fecha 2013 com saldo positivo, principalmente após as intervenções de segurança e reordenamento do Centro de Manaus. A opinião é do presidente da ACA (Associação Comercial do Amazonas), Ismael Bicharra Filho. Segundo ele, o mau desempenho do comércio manauense em 2013 foi um reflexo de uma conjuntura desfavorável, tanto no âmbito econômico, como no social e político.
“Tivemos um ano ruim. Primeiro tivemos os protestos de junho, que prejudicaram muito o comércio. Em setembro, tivemos a greve dos bancos. Isso fez cair muito o faturamento do comércio como um todo. Junto a isso ainda tem a incerteza provocada pelo governo federal com relação à economia”, avaliou Bicharra.
Mas, ainda segundo ele, no último trimestre o centro da cidade viu suas vendas aumentarem consideravelmente, influenciadas por ações do poder público em parceria com as entidades de classe. Para ele, o desempenho do comércio em 2013 só não foi desastroso justamente por conta desta retomada das compras no Centro.
“Estamos melhorando o Centro da cidade, melhoramos a segurança, com o apoio do governo do Estado e da prefeitura com a secretaria do Centro da cidade, com o secretário Rafael Assayag. Conseguimos melhorar também a limpeza e mobilidade urbana. Nós fizemos, como Associação Comercial, todo um trabalho de alavancar as vendas no Centro, com todas essas ações. E com isso conseguimos melhorar sensivelmente o movimento desde novembro. Hoje se você passar pelo Centro às 20 horas a maioria das lojas está aberta. Com essas medidas conseguimos ao menos empatar com o faturamento do ano passado. Ficar no 0x0, em um ano de muita turbulência, é sair no lucro”.
Já o presidente da CDLM, Ralph Assayag, avalia positivamente o cenário do comércio varejista no ano que passou. Para ele, a abertura de novos espaços comerciais e a geração de empregos foram os destaques.
Foi um ano bom. Contratamos mais que em 2012, foram 11 mil empregos a mais. Além disso tivemos a abertura de dois novos shoppings (Ponta Negra e Zona Leste) e aumento mensais nas vendas. Esperamos que 2014 mantenha o mesmo ritmo”, desejou Ralph.

Perspectivas

Mas se depender do otimismo do setor, 2014 será um ano de recuperação para o comércio local. Em ano de Copa do Mundo e com a presença garantida de seleções de grande tradição no futebol a expectativa é de crescimento do comércio varejista.
“Nós, empresários, estamos tendo reuniões para traçar cenários para 2014. Depois do sorteio dos grupos da Copa este cenário melhorou muito, porque nós acreditamos que com os importantes jogos que terão em Manaus o comércio deverá ficar muito aquecido não só no período da Copa, porque existe um legado. A visão que temos hoje é de bons negócios e francos investimentos”, disse Ismael Bicharra.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email