Restaurantes apostam em ambientação

A procura, cada vez maior, por restaurantes que tenham espaços ideais para fechar negócios tem levado empresários do ramo de alimentos em Manaus, a investir em ambientação e treinamento de garçons. Executivos do Distrito In­dustrial, comerciantes e políticos têm procurado, com maior frequência, por locais que ofereçam ambiente agradável, privacidade e atendimento personalizado.
É o que diz o empresário Mário Porcaro, dono do restaurante italiano Casa do Mário, localizado no conjunto Vieiralves, zona centro-sul da cidade. Para atender às pessoas que escolhem o local para jantares de negócios, ele investiu na ambientação local e também na criação de um espaço exclusivo, que garante privacidade.
Mário explicou que fechar negócios em restaurantes já é quase uma regra no mundo empresarial. Mas em vez dos ambientes lotados e com ruídos, elas preferem restaurantes sofisticados, com boa comida e, sobretudo, com privacidade. “O ambiente é importante para que tudo dê certo”, disse o empresário.
Exemplo disso ocorreu esta semana. Na última segunda-feira, o governador do Amazonas, Eduardo Braga, jantou reservadamente com o ministro extraordinário de Assuntos Estratégicos do Brasil, Mangabeira Unger. “Grupos de empresários, executivos e até políticos, como o governador do Estado, nos procuram porque gostam de comer bem, de estar num local agradável para conversar e discutir assuntos importantes”, afirmou.
A empresária Janete Fernandes também apostou no ambiente interno para atender pessoas que fazem da mesa um espaço para fechar bons negócios. O restaurante Palazzolo, no bairro Chapada, também na zona centro-sul, recebeu melhoria no espaço interno –iluminação diferenciada, música ambiente e áreas reservadas e crianças– e também no cardápio. Só no salão privativo são 40 lugares, com vista para o salão principal, mas longe do burburinho dos demais clientes.
Outro diferencial é o horário de atendimento no Palaz­zolo: agora é das 12h a 0h, com o cardápio completo e variado. O objetivo é atender aos profissionais que querem ter almoço ou jantar de negócios, sem se preocupar com horário. “Não precisa ser no horário comercial. Não existia em Manaus um local que pudesse servir comida de qualidade, num ambiente diferenciado, até a meia-noite. A pessoa pode levar o cliente e família a qualquer hora da tarde ou da noite que vai ter ambiente propício para bons negócios”, disse Janete, que há 20 anos atua no mercado de restaurantes.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email