Em um cenário em que a taxa de juros despenca, surge a dúvida de como fazer o dinheiro voltar a render. Para isso, você precisa saber o que é renda variável e qual sua diferença para a renda fixa. Nesse artigo eu pretendo lhe contar tudo o que você precisa saber para diferenciar renda fixa de renda variável.

Imagine que você, antes de ler este artigo, colocou certo dinheiro na poupança. Esse é o típico investimento de renda fixa, certo? Então você sabe me informar quanto que você vai receber ao final de um ano?

Se você pesquisou antes de fazer esse investimento, você viu que a poupança rende exatamente 70% da taxa SELIC. Mas isso não é um valor exato. Para você chegar ao rendimento certo você precisa saber quanto é a taxa SELIC no período. Acontece que essa taxa pode variar várias vezes durante um ano e, inclusive, tem caído ultimamente.

Isso significa que renda fixa também varia. Antes da mudança da SELIC o rendimento é um, depois da mudança o rendimento é outro. Por isso, o melhor conceito de renda fixa é a aplicação em que as condições de rentabilidade são determinadas no momento do investimento. Quem guarda dinheiro na poupança sabe que vai render 70% da SELIC, essa regra não vai mudar, mas a taxa vai mudar, então a rentabilidade final também.

Ou seja, o investimento não é definido em renda fixa ou variável por meio do seu preço. Para entender isso, você precisa entender o verdadeiro sentido da renda variável: Toda empresa precisa de dinheiro para crescer seu negócio, e uma das formas de se conseguir dinheiro é se dividindo em pequenas partes e vendendo essas partes a investidores.

A cada pequena parte de uma empresa se dá o nome de ação. Cada ação tem direito a uma parte do lucro da empresa, os dividendos. Todos que possuem ações são donos da empresa. Quando a empresa não tem lucro, você não recebe dividendo, mas se a época é boa, você recebe muitos dividendos. Por isso que é renda variável. Você está lidando com uma empresa que precisa vender seus produtos ou serviços, mas nem sempre as vendas são constantes, não são fixas, por isso que a renda proveniente dessa atividade é variável. Não há como afirmar que a empresa lucrará tantos porcento da taxa SELIC, por exemplo.

Então você não precisa comprar e vender ações para ter lucro. Você é remunerado pelos dividendos que ela te paga. O preço de uma ação não muda em absolutamente nada a quantidade de dividendos que você vai receber. Não importa se a ação custa 1 ou 10 reais, se a empresa tiver lucro, ela vai reparti-lo da mesma forma. 

O que você precisa saber é que, com a taxa de juros caindo, não só os investimentos de renda fixa ficam menos atraentes, mas os de renda variável ficam cada vez mais. Quando os juros estão baixos, as pessoas compram mais, já que elas vão pagar menos juros. Se as pessoas compram mais, as empresas têm mais lucro, aumentando os dividendos.

Nesta semana, a bolsa de valores negocia na máxima histórica em decorrência da aprovação da Reforma da Previdência, enquanto o mercado aguarda novo corte na taxa de juros. Ainda, olhos voltados para a PEC que pretende incluir Estados e Municípios na Reforma, apesar de não haver muita expectativa na sua aprovação. Por fim, é época de divulgação de resultados das empresas listadas em bolsa.

* Fernando Henrique Magalhães é consultor financeiro, investidor, empresário e formando em Direito. Instagram: @Fernandaohm. Email: [email protected]

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email