Renda do trabalhador cresce em ritmo menor, aponta IBGE

A renda do trabalhador brasileiro cresceu menos em 2008, de acordo com dados da PNAD (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios), divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Segundo estimativas do órgão, as pessoas ocupadas receberam, em média, R$ 1.036 mensais ao longo do ano passado.
O dado contempla todas as pessoas ocupadas, sejam empregados ou trabalhadores por conta própria. Foi o menor ritmo de crescimento da renda em três anos. Na comparação com 2007, a alta foi de 1,7%. De 2005 para 2006, o salário do brasileiro havia crescido 7,2%. Na passagem seguinte, de 2006 para 2007, o incremento foi de 3,1%.

Maiores ganhos

Por regiões, Nordeste e Centro-Oeste registraram os maiores ganhos em 2008, com aumentos de 5,4% e 3,2%, respectivamente, em relação ao ano anterior.
Mesmo com o maior crescimento, a região Nordeste ainda registra o menor salário médio (R$ 685 mensais). O maior salário médio foi observado no Centro-Oeste, com R$ 1.261 mensais. Esse valor é impulsionado pelo rendimento no Distrito Federal, que sedia boa parte da administração pública federal.
O IBGE verificou que a população trabalhadora mais pobre obteve os maiores ganhos salariais entre 2007 e 2008.
Os 10% das pessoas ocupadas com os menores rendimentos apresentaram crescimento de 4,3% no salário médio real mensal. Por outro lado, os 10% que detinham os ganhos mais elevados tiveram os rendimentos ampliados em 0,3%.
Apenas entre os empregados (com e sem carteira, funcionários públicos estatutários e militares, excluindo trabalhadores domésticos), o ganho real do trabalhador subiu 1,8%, ficando em R$ 994 mensais médios.
Os empregados sem carteira receberam, em média, R$ 604 mensais no ano passado, o que indica elevação de 2,7% sobre os ganhos de 2007.

Carteira assinada

Quem tinha carteira assinada teve salário médio de R$ 1.034 mensais, incremento de 1,3%.
Militares e funcionários públicos estatutários receberam R$ 1.759 mensais, a maior remuneração média entre as categorias constatadas. Em relação a 2007, o ganho real foi de 0,7%.
Os que trabalham por conta própria receberam, em média, R$ 799 mensais. Em relação a 2007, a queda foi de 4,8%. Já os trabalhadores domésticos com carteira de trabalho obtiveram ganho real de 2,1%, com salário médio de R$ 523. Quem não tinha carteira assinada recebeu, em média, R$ 523, ainda que tenha havido aumento de 2,7%.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email