Ser um empreendedor é o sonho de muita gente. Ter a ideia de montar um negócio, fazer o investimento, procurar um ponto, contratar funcionários e esperar os lucros. Pronto, agora você já é um empreendedor. Seria muito bom se tudo funcionasse assim, entretanto, existem várias situações que, apesar de burocráticas, devem ser seguidas a risca.
A ideia de montar um negócio é a parte mais viável, afinal depende da cabeça de cada um querer colocar em ação o que mais lhe convém, porém, a prática dessa ação já começa a pesar quando se faz uma pergunta crucial e principal: “Quero abrir um negócio porque gosto de trabalhar com isso ou somente para obter lucro?”
Sabe-se muito bem que apenas gostar do que faz e querer lucros não são as duas maneiras certas para se tornar um empreendedor. Além dessas duas questões deve-se aliar outras para que o empreendimento decole, como por exemplo, planilhas de tudo o que deve ser gasto, o público-alvo, o ponto estratégico e a remuneração da loja.
Ao preparar um programa de remuneração para a sua loja, você deve ter em mente que os critérios adotados devem sempre levar em conta o desempenho do funcionário e, acima de tudo, valorizar a justiça (ser justo). A seguir alguns pontos fundamentais para que o programa alcance os objetivos em sua empresa:

*Acentuar a percepção do funcionário quanto a um tratamento justo:
Frequentemente, os funcionários ficam desmotivados por sentirem que não estão sendo recompensados de modo justo por seu desempenho. É daí que surge a atitude do tipo “esta não é minha função” ou “eu não ganho pra isso”. Se você pagar aos vendedores o mínino possível, é provável que eles trabalhem com a mesma filosofia. Mas se perceberem que proporcionar um excelente atendimento ao cliente também resulta em um maior contra-cheque, haverá muita motivação para “fazer o melhor” na loja.

*Prevenir ou minimizar os pedidos de aumento:
Faz parte da rotina de um empregador ser “imprensado” com pedidos de aumento. Geralmente isto se relaciona ao fator tempo. Se um funcionário se tornou mais lucrativo para você, porque sua produtividade aumentou e, no entanto, seu ganho pessoal não aumentou, ele tem todo direito de esperar um aumento no salário. Se sua produtividade não aumentou, ele não tem motivo para tal.
*Fácil de entender e calcular:
Seu sistema de remuneração deve ser fácil o suficiente para que os funcionários possam calculá-lo sem precisar de uma calculadora. Deve ser possível ao funcionário calcular, com facilidade, quanto dinheiro ele ganhou após cada venda realizada. Se o programa de remuneração for complicado demais, não permitirá uma aplicação imediata. É muito estimulante quando o vendedor faz uma boa venda e pode dizer a si mesmo: “Foi acrescentado R$10 ao meu contra-cheque!”.

*Recompensar os produtivos:
Sistemas de remuneração mal-estruturados podem acabar recompensando o mau desempenho e penalizando o desempenho excepcional. Ou estes sistemas não se baseiam no desempenho em vendas, ou se baseiam no desempenho do grupo, em vez de no desempenho individual. O motivo pelo que se pagam comissões é o de recompensar ou estimular a produtividade – recompensar as pessoas pelas habilidades em satisfazer clientes com seu produto. A não ser que os indivíduos sejam recompensados por sua contribuição pessoal para o sucesso da loja, alguém certamente vai ficar no prejuízo.
*Fonte: Portal varejista

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email