Relatores do caso Renan deverão apresentar dois textos na Conselho

Os senadores Renato Casagrande (PSB-ES) e Marisa Serrano (PSDB-MS) devem apresentar um único relatório pedindo a cassação de Renan, enquanto o senador Almeida Lima (PMDB-SE) trabalha pela absolvição do parlamentar -por isso, pretende apresentar um texto em separado ao conselhode ética. Apesar de não admitir oficialmente que vá pedir a cassação de Renan, Casagrande reconheceu que, se elaborar apenas um texto em conjunto com Serrano, o relatório terá mais chances de ser aprovado pelo Conselho de Ética. “Ontem seria divulgado se teriam um ou vários relatórios. (Eu e a senadora Marisa) temos mais pontos de identidade”, disse Casagrande.
Os três senadores se reuniram na manhã de ontem para discutir o caso, mas só vão definir sobre a apresentação de um texto em comum ou relatórios em separado em outra reunião, com a presença do presidente do conselho Leomar Quintanilha (PMDB).
Na quinta-feira, Quintanilha colocará em votação o texto final dos relatores. Se houver mais de um relatório, todos serão submetidos à votação dos integrantes do Conselho de Ética. “Se tivermos pontos de identidade, será um relatório único. Se não tivermos, Deus sabe o que faz”, disse Casagrande.
O senador afirmou que os três relatores discutiram na terça-feira detalhes da ação contra o senador Renan Calheiros que impedem o questionamento legal do processo por advogados do peemedebista depois de sua votação no conselho.
“Fizemos um despacho saneador para evitar questionamentos do processo na Justiça. São questões de alegações sumárias. Temos que notificar as partes para que, se quiserem falar na parte final do processo, tenham esse direito assegurado”, explicou Casagrande.

Voto aberto

A oposição trabalha para que a votação do relatório contra Renan seja aberta, mas aliados do peemedebista vão propor que os votos sejam secretos. Quintanilha afirmou que vai submeter a decisão sobre a sistemática da votação ao plenário do conselho -que vai definir se os votos serão abertos ou fechados.
O presidente do conselho pediu parecer jurídico à consultoria do Senado sobre a regra que deve ser adotada nas votações de perda de mandato no Conselho de Ética, uma vez que o regimento da Casa estabelece votação secreta somente para o plenário. Quintanilha ainda não recebeu resposta à consulta, mas disse que vai submetê-la à análise do conselho. O DEM e o PSDB vão orientar suas bancadas para abrirem o voto no momento da votação do relatório com o objetivo de mostrar os aliados de Renan no Conselho de Ética.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email