Reino Unido define semana crucial na luta contra a aftosa

Esta semana será “crucial” na luta contra o vírus da febre aftosa no Reino Unido, segundo a veterinária assessora do governo britânico, Debby Reynolds.
Em entrevista ao canal público britânico “BBC”, Reynolds advertiu que ainda é necessário manter a vigilância e que é preciso elaborar planos “com urgência” para devolver a normalidade à indústria pecuária. “Trata-se de uma semana crucial devido à combinação de vigilância e de planejamento que temos pela frente”, disse Reynolds.
O vírus da febre aftosa foi detectado em duas fazendas do sul da Inglaterra. Um foco da doença foi descoberto há dez dias em uma fazenda de Surrey, e depois se descobriu outro em uma criação de gado próxima.
Embora as autoridades britânicas tenham indicado outro possível foco do mal na mesma região do país, fora da área de vigilância imposta pelo Governo após a descoberta do primeiro foco, os testes realizados deram negativo.
A veterinária ressaltou a importância de que as pessoas próximas a animais se mantenham atentas “para detectar sinais avançados de infecção, caso ainda haja algum vírus de febre aftosa”, e insistiu na necessidade de “planejamento com antecipação” e com urgência. Os sindicatos dos granjeiros no Reino Unido asseguram que as restrições impostas no transporte de animais após a aparição do vírus trazem prejuízos aos negócios. O Governo aguarda os resultados de análises independentes para determinar a origem do foco da doença em Surrey.
Na sexta-feira, a Comissão de Saúde e Segurança (HSE, a sigla em inglês) indicou que tinha recebido os resultados dos testes feitos no laboratório de Pirbright, compartilhado pelo IAH (Instituto de Saúde Animal), um centro público de pesquisa e diagnóstico, e a farmacêutica Merial Animal Health, fabricante de vacinas para animais.
Os resultados serão divulgados após a HSE analisá-los. O Governo estabeleceu uma zona de controle temporário perto das duas fazendas de Surrey que possuem animais com febre aftosa, doença que causa ulcerações nos focinhos e nas patas do gado e é altamente contagiosa.
As duas fazendas ficam no povoado de Normandy, próximo ao laboratório de Pirbright, suspeito de ser a origem do foco do mal.
O primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, afirmou na sexta-feira que o foco de febre aftosa no Reino Unido está restrito “a uma área limitada” e que o risco de propagação “é pequeno, se não insignificante”.
O Ministério do Meio Ambiente, Alimentação e Assuntos Rurais informou que investiga um possível caso fora da zona de proteção e confirmou que os testes realizados em uma terceira fazenda sob suspeita, dentro da área de controle, deram negativo.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email