21 de janeiro de 2022

Reforma protestante: o romper para um novo tempo

A Reforma Protestante foi muito mais do que apenas um movimento religioso. Foi um verdadeiro divisor de águas no âmbito histórico, social e político do Ocidente, sendo um marco temporal na passagem do mundo medieval para a era moderna. E neste dia 31 de outubro de 2021 completa-se exatamente 504 anos desta grande transformação, surgida na Europa a partir do século XVI. Esta corrente foi iniciada por Martinho Lutero (1483-1546), monge agostiniano alemão e professor da Universidade de Witenberg, marcando o rompimento com os dogmas defendidos pelo poder religioso predominante no período. Lutero, após minuciosa análise das Escrituras Sagradas (Bíblia), começou a perceber que muitas práticas exigidas do povo pelo poder eclesiástico da Igreja Católica, na época, estavam em desconformidade com o que está escrito na Palavra de DEUS, como a cobrança de indulgências, por exemplo, (costume esse que se iniciou na última fase da Idade Média, em que os fiéis poderiam ‘comprar’ parte da absolvição de seus pecados de um representante do clero). Foi então que o Monge, por meio de 95 teses (que ele fixou na porta da igreja do Castelo justamente na data de 31 de outubro de 1517), fez diversas críticas à Igreja Apostólica Romana e ao Papa, em virtude da conduta e práticas do Clero na ocasião. Um dos principais textos bíblicos que fizeram com que se abrissem os olhos de Martinho Lutero para a verdade está na Carta aos Romanos, no Capítulo 1 e Versículo 17, que diz assim: “Mas o justo viverá pela fé. ”

Considerado como o mais expoente líder da ‘Reforma’, Lutero nasceu na Alemanha no ano de 1483, tendo iniciado os estudos em Direito aos 18 anos. Segundo historiadores, ele teve uma criação cercada de misticismo, com estórias de demônios e bruxas permeando sua infância. Contudo, em 1505 decidiu seguir uma vida religiosa e ingressou no Mosteiro Agostiniano de Erfurt. Daí em diante os ideais de Lutero foram se disseminando pelo continente europeu. Todavia, o chamado ‘luteranismo’ ganhou distintas características, pois muitos religiosos passaram a estudar os escritos de Lutero e propor a renovação da Igreja. Temos como exemplo a França e a Holanda, onde os princípios defendidos por Lutero foram ampliados por João Calvino (1509-1564). Pertencente à burguesia e influenciado pelo Humanismo e pelas teses dele, Calvino tornou-se um ferrenho defensor dos pensamentos explanados pelo luteranismo.

Para além das profundas mudanças religiosas e políticas a partir deste acontecimento histórico, a Reforma Protestante trouxe grandes contribuições sociais, como por exemplo, a ideia da escola pública, contemplando a todos e organizada em três grandes ciclos (fundamental, médio e superior), voltada para o saber útil, conforme defendia o projeto educacional de Lutero. A distinção entre a esfera espiritual e as coisas terrenas propiciou um salto para o conhecimento e para a produção de ciência no Planeta, além da possibilidade de separação entre Estado e Igreja. O progresso social também foi uma realidade incontestável a partir deste período, onde as pessoas passaram a ter consciência do valor do trabalho e de que podem também crescer, progredir e lucrar, desde que seja através de seu trabalho honesto.

Ou seja, a Reforma Protestante foi um verdadeiro ‘romper’ para com os paradigmas da era vigente no século XVI, proporcionando uma nova consciência e visão de mundo, por meio da expansão do saber, da liberdade religiosa, do acesso à Educação e do direito ao trabalho e ao crescimento espiritual e profissional. A Reforma Protestante não foi a fundação de uma nova religião, mas sim a retomada de princípios bíblicos e cristãos (que são eternos) e que contemplam o ser humano como um agente social, físico, espiritual, emocional e biológico, ou seja, em sua completude, da forma como DEUS enxerga a cada um de nós, como seres completos. Que esta data possa ser um momento de reflexão a todos nós, com o pleno reconhecimento de que a inclusão e as oportunidades devem estar disponíveis a todas as pessoas, independente de idade, sexo, credo religioso ou características físicas; com acesso ao ensino, à instrução e à verdade dos fatos, pela importância ímpar que o conhecimento tem na vida do ser-humano (Oséias 4:6) e a libertação que somente a Verdade pode trazer (João 8:32), para que assim aqueles que fazem a sua parte e se esforçam, tenham a possibilidade de progresso e crescimento nas diversas áreas da vida. Que DEUS abençoe a nossa Nação e a todos nós, em Nome de JESUS.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email