Reforma no sistema do país é necessária

O Centro para Crédito Competitivo (Center for Competitive Credit), um centro de estudos aplicados do Conselho de Pesquisas Políticas e Econômicas (Political & Economic Research Council – Perc), acaba de divulgar um estudo sobre a reforma do sistema brasileiro de crédito, que permitirá a passagem de um sistema de informações negativas para um sistema de informações completas sobre crédito, permitindo a transmissão de informações positivas sobre os candidatos a empréstimos. A reforma está atualmente em exame pelo Congresso brasileiro e recebeu o apoio de membros do governo e líderes empresariais.
O estudo, chamado “Economic Fairness Through Smarter Lending: Some Factors to Consider on the Eve of Brazilian Credit Reporting Reform” (“Justiça econômica por meio de empréstimos mais inteligentes: alguns fatores para serem considerados na véspera da reforma do sistema brasileiro de informações sobre crédito”), chegou à conclusão de que a implementação de um sistema de informações positivas sobre crédito teria efeitos benéficos substanciais para a economia da nação, incluindo acesso mais amplo e mais justo ao crédito, além de levar a taxas de juros mais baixas, redução da pobreza e a melhor distribuição da renda.

“O estudo examina assuntos de grande importância para todos os brasileiros que trabalham, como inclusão financeira, expansão das oportunidades econômicas, aumento do acesso a empréstimos para o setor privado, melhor desempenho dos empréstimos e maior estabilidade dos bancos, além da redução nos custos do crédito”, disse o Michael Turner, presidente do Perc e co-autor do trabalho. “A inclusão de dados positivos de crédito permite que muitos desses benefícios sejam realizados de forma significativa”, acrescentou Turner.

Instituições financeiras

Uma simulação feita pelo Perc com dados sobre crédito em países da América Latina, Estados Unidos e Japão revelou que tanto os consumidores como as economias se beneficiam com um sistema de informações completas sobre crédito. Por exemplo, quando quem concede o empréstimo tem condições de avaliar tanto informações positivas como negativas, as instituições financeiras podem duplicar o número de pessoas às quais emprestam com segurança.

Ao mesmo tempo, se a participação em um sistema de informações sobre crédito crescer de 50% para 100%, as instituições financeiras poderão aumentar o capital privado no mercado em até 47,5%. Este aumento na estimulação ao capital pode levar a um crescimento de 0,75% no índice de aumento do PIB (Produto Interno Bruto).

Mesmo em uma economia avançada como a do Japão, o Perc determinou que a transição para um sistema de informações completas sobre crédito, saindo de um sistema apenas com informações negativas –semelhantes ao existente no Brasil– poderia levar a um aumento de 20% nos empréstimos do setor privado e a uma alta de 0,67 pontos percentuais no índice de crescimento do PIB japonês.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email