27 de fevereiro de 2021

Redes de fast food preferem shopping center, aponta ABF

https://www.jcam.com.br/negociosservicos_cad2_3008.jpg
Em alguns shoppings o custo operacional chega a representar até 26% do faturamento, sendo a média, das que mais pagam, de 14,69%. O índice passa para 10,82% nas lojas de ruas.

Estudo divulgado pela ABF (Associação Brasileira de Franchising) comprova que as redes de fast food realmente preferem instalar suas lojas dentro de shoppings centers. Atualmente, 48% dessas lojas estão localizadas em shoppings; 34% em ruas; 13% em outros locais; 4% em hipermercados; e 1% em galerias ou centros comerciais.
Um exemplo dessa preferência é a rede Bob’s: todas as seis lojas do grupo em Belo Horizonte e Contagem estão localizadas em shoppings. E dos oito quiosques, apenas um não está em centro de compras. “Estamos com maior ênfase nos shoppings por um fator muito simples: é onde nosso cliente prefere nos encontrar, devido a uma série de fatores, como segurança, acessibilidade, estacionamento, o mix de prestação de serviços do local, entre outros”, explicou Mauro Bastos Pinhel, master-franqueado no Estado.
O interesse do Bob’s por lojas em shoppings é tão grande que o grupo prevê, ainda para 2007, a abertura de três lojas, sendo duas delas em shoppings centers, com um investimento inicial de R$1,5 milhão, gerando cerca de 200 empregos diretos e outros mil indiretos.
A pesquisa da ABF foi realizada em parceria com a ECD Consultoria, especializada em food service, no período de maio a julho de 2007, e envolveu 3.068 lojas de fast food, totalizando 56% do mercado e 83% do faturamento do setor, que prevê um crescimento para 2007 em torno de 15,3%.
Pinhel concorda ainda com outro tópico do levantamento, sobre os custos operacionais ou de ocupação destas lojas. Em alguns shoppings este custo chega a representar até 26% do faturamento, sendo a média, das que mais pagam, de 14,69%.
O índice passa para 10,82% nas lojas de ruas e para 9,7% em centros comerciais, galerias e hipermercados. O ideal, afirmou o empresário, é que estes custos sejam inferiores a 10%. “Precisamos, muitas vezes, optar por maior investimento em infra-estrutura ou arcar com estes valores. Quando o ideal seria que as duas coisas pudessem andar juntas, o que seria bom tanto para nós quanto para os centros de compras”, analisou.

Bob’s aposta em público de centros

O primeiro semestre de 2007 foi muito bom para a rede Bob’s em Minas Gerais. A perspectiva era atingir o percentual de 35% do mercado local de fast food na capital até o final do ano, mas os dados preliminares já comprovam que essa meta foi superada ainda em julho.
O master-franqueado afirma que o crescimento ocorreu, principalmente, devido à política implantada de valorização do cliente com a qualidade dos produtos e a excelência no atendimento. “O ritmo firme e crescente mantido é reflexo do sucesso alcançado com nossas ações, destacando a política de valorização das crianças e jovens como consumidores conscientes”, enfatizou.
Um dos destaques da marca em Minas são as ações de responsabilidade social. Mais de 90% dos funcionários são jovens de baixa renda em seu primeiro emprego. Além disso, a direção disponibiliza vagas para jovens com Síndrome de Down e apóia eventos voltados para jovens cadeirantes, principalmente, esportivos.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email