Reconhecimento internacional

Mistura de dança, arte marcial, esporte e um dos maiores símbolos culturais do país, a roda de capoeira recebeu no último dia 26 de novembro, o título de Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).
A outorga do título, feita em reunião da Unesco realizada hoje em Paris, foi comemorada em comunicado divulgado pelo Ministério da Cultura.
A presidente do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), Jurema Machado, afirmou que o reconhecimento serve para reforçar os compromissos já assumidos pelo governo para preservar a manifestação cultural.
“O reconhecimento internacional amplia as condições de salvaguarda desse bem”, afirmou a presidente do Iphan, citada no comunicado do Ministério da Cultura.
“A intenção é colocar sob a proteção do Estado toda uma diversidade de práticas e conhecimentos que são patrimônio brasileiro, assim como as construções e as paisagens”, acrescentou Jurema.
De acordo com a presidente do Iphan, o governo planeja ações para promover a prática, valorizar os professores, preservar as características originais da capoeira e criar redes de cooperação e de transmissão do conhecimento.
O Iphan afirmou que já ofereceu apoio para que os próprios praticantes da modalidade rea-lizassem um amplo inventário dos grupos de capoeira e dos principais professores no país. Foi proposta também a criação de comitês regionais.
Com o reconhecimento, a capoeira se junta ao Samba de Roda do Recôncavo Baiano, à Arte e Pintura Corporal dos Kusiwa, ao Frevo e à peregrinação religiosa do Círio de Nazaré como bens brasileiros incluídos na lista do Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade.
A capoeira nasceu no século XVII como uma manifestação dos escravos africanos no país para contestar a repressão.
“Hoje é um dos maiores símbolos da identidade brasileira e está presente em todo o território nacional, além de contar com praticantes em mais de 160 países de todos os continentes”, afirma o Ministério da Cultura.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email