A Delegacia da Receita Federal em Manaus arrecadou, em dezembro de 2013, o montante de R$ 1,383 bilhão. Esse valor representa um acréscimo de 15,29% se comparado ao mesmo período de 2012, quando o órgão somou R$ 1,2 bilhão. Desse total, os tributos que se destacam são as Receitas Previdenciárias, com R$ 492 milhões arrecadados; a Cofins, que somou R$ 362 milhões e o IRPJ, com R$ 150 milhões. Em relação ao ano anterior (2012), esses tributos tiveram um incremento, respectivamente, de 6,25%, de 41,16% e de 49,65%.
No acumulado do ano, o órgão ultrapassou R$ 12,454 bilhões, contra R$ 11,147 em 2012, valor que representa um acréscimo de 11,73%.
No tocante a multas, foi arrecadado um total de R$ 27.312 em dezembro de 2013, valor 30,21% superior a 2012, quando o órgão arrecadou R$ 20.976. Durante todo o ano de 2013, a soma dos pagamentos de penalidade foi de quase R$ 286 milhões, contra 280 milhões em 2012.
Durante todo o ano de 2013, a unidade da Receita Federal no Amazonas recebeu 331.767 declarações do Imposto de Renda Pessoa Física. Dessas, 14.412 ficaram retidas na malha fina, seja por erros cadastrais, por omissões de receitas ou até por o contribuinte possuir débitos anteriores com o fisco federal.

Brasil
Em todo o país, a Receita Federal arrecadou R$ 1,138 trilhão em 2013, com aumento de 4,08% acima da inflação oficial pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo). De acordo com o Fisco, além da recuperação da economia no segundo semestre, a instituição de parcelamentos especiais contribuiu para o aumento nas receitas. O refinanciamento de dívidas de instituições financeiras e de multinacionais e a reabertura do Refis da Crise renderam R$ 21,785 bilhões no ano passado.
Apenas em dezembro, a arrecadação somou R$ 118,36 bilhões, a maior registrada para o mês e a segunda melhor da história, perdendo apenas para janeiro de 2013 – R$ 121,878 bilhões em valores corrigidos pelo IPCA. Além do Refis da Crise, contribuiu para o crescimento a arrecadação extraordinária de R$ 2,5 bilhões de IRPJ (Imposto de Renda da Pessoa Jurídica) e da CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido).
Excluídos os parcelamentos especiais, a arrecadação teria encerrado 2013 com alta de 2,12% acima da inflação. Segundo a Receita Federal, o número indica a recuperação da economia, principalmente a partir do segundo semestre. O crescimento de 3,57% nas vendas no ano passado refletiu-se na alta real (acima da inflação) de 8,03% na arrecadação do PIS (Programa de Integração Social) e da Cofins (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social), tributos ligados ao faturamento.
O aumento na lucratividade das empresas a partir do segundo semestre fez a arrecadação do IRPJ e da CSLL encerrar o ano passado com aumento real de 8,46%. O desempenho fraco da indústria no ano passado e as reduções de alíquotas para determinados produtos, no entanto, fizeram a arrecadação do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) cobrado sobre os produtos nacionais subir apenas 0,14% acima da inflação em 2013.
As reduções de tributos para estimular a economia fizeram o governo deixar de arrecadar R$ 77,8 bilhões em 2013. Segundo a Receita, os maiores impactos foram provocados pela desoneração da folha de pagamento (R$ 13,2 bilhões), seguida pelas reduções de IPI para automóveis, linha branca, materiais de construção e móveis (R$ 11,9 bilhões).
A redução a zero da Cide (Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico), cobrada nos combustíveis, fez a União deixar de arrecadar R$ 11,5 bilhões. A desoneração para a cesta básica causou impacto fiscal de R$ 6,8 bilhões no ano passado.

Nova sede em Manaus
O ano de 2013 foi finalizado com a mudança da Delegacia da Receita Federal em Manaus para um novo prédio, localizado no bairro Adrianópolis. O prédio, que hoje é sede do órgão, possui estrutura moderna, proporcionando um ambiente de trabalho seguro e confortável para os servidores. Porém, o CAC (Centro de Atendimento ao Contribuinte) permanece no bairro São Jorge, de segunda à sexta, das 7h às 19h.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email