Receita federal registra crescimento de 14,75% no recolhimento de tributos

A arrecadação dos tributos federais no mês de setembro de 2008 administrados pela Delegacia da Receita Federal do Brasil em Manaus foi 14,75% maior que a relativa ao mesmo período de 2007 em valores nominais, sem levar a inflação em consideração. Levando-se a inflação mensurada pelo índice IPCA do últimos doze meses (6,25%), o crescimento real foi de 8%. Comparativamente, a arrecadação da Segunda Região Fiscal, equivalente à região Norte excluindo-se o Estado de Tocantins, foi 19,54% maior em valores nominais e de 12,50% em valores reais, corrigidos pela inflação. Finalmente, a arrecadação do Estado do Amazonas (que compreende além dos tributos administrados pela Delegacia, também os administrados pelas Alfândegas do Porto de Manaus e do Aeroporto Eduardo Gomes) foi 23,63% maior em valores nominais e 16,36% em valores reais. Estes valores não incluem taxas e contribuições controladas por outros órgãos.
O valor arrecadado na Delegacia em Manaus representou no mês 48,67% do total arrecadado na Segunda Região Fiscal. Somando-se o total arrecadado no estado do Amazonas este valor chega a 58,66%.
Comparando-se o acumulado do ano de janeiro a setembro com o mesmo período do ano passado, houve crescimentos nominais na arrecadação de 22,86% na Delegacia da Receita Federal em Manaus; de 22,76% na Segunda Região Fiscal e de 27,31% no Estado do Amazonas. Levando-se a inflação (índice IPCA) em consideração, estes valores passam a ser de 15,64% para a Delegacia; de 15,54% para a 2º Região Fiscal e de 19,84% para o Estado do Amazonas. No acumulado do ano, o valor arrecadado na Delegacia em Manaus representou 49,80% do total arrecadado na Segunda Região Fiscal. Somando-se o total arrecadado no Estado do Amazonas este valor chega a 57,13%.
Este bom desempenho reflete o forte trabalho da Receita Federal do Brasil no combate aos ilícitos fiscais.
Analisando a arrecadação no período no ano de 2008 em relação a 2007 na Delegacia da Receita Federal em Manaus por tributo constata-se o seguinte desempenho:
* tributos ligados às rendas: comparando-se setembro de 2008 com setembro de 2007 houve um crescimento nominal da arrecadação do IRPJ (Imposto de Renda Pessoa Jurídica) de 17,9%, da CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido) de 25,6% , da Receita Previdenciária de 21,3%, do IRRF (Imposto de Renda Retido na Fonte) de 20,4% e do IRPF (Imposto de Renda Pessoa Física) de 13,1%.
Já comparando-se os acumulados até setembro de 2008 e de 2007, verifica-se que o crescimento da CSLL passa a ser de 27,2%, do IRPJ de 37,3%, do IRPF de 40,4%, do IRRF de 11,5% e da Receita Previdenciária de 25,5%.
* tributos ligados às vendas: crescimento na arrecadação do PIS de 13,5%; do IPI de 22,3% e da Cofins de 23,1%. Comparando-se o acumulado até setembro em 2008 com o de 2007, o crescimento na arrecadação do PIS passa a ser de 17,9%, do IPI de 64,7% e a Cofins passa a ter um acréscimo de 23,1%.

Variações relevantes

O crescimento deste tributo no mês de setembro de 2008, ao ser comparado com setembro de 2007, apresentou-se um pouco abaixo da média da Delegacia. O principal fator foi a realização de compensações, com créditos de períodos anteriores, por contribuintes de grande porte. As empresas classificadas na Divisão Econômica conforme a CNAE (Classificação Nacional de Atividades Econômicas) de “Alimentação”, apresentaram o maior incremento relativo de arrecadação, com um crescimento de 593%. No caso das empresas classificadas no setor de “fabricação de produçãode metal, exceto máquinas e equipamentos” apresentaram a maior queda, com um valor de -51,9%.

Acumulado do ano

No acumulado do ano, a arrecadação do tributo tem apresentado bom crescimento. O principal fator para este desempenho tem sido o crescimento da arrecadação das empresas classificadas nas divisões econômicas de “fabricação de equipamentos de informática, eletrônicos e ópticos”, cujos principais produtos fabricados são eletroeletrônicos, e de “fabricação outros equipamentos, exceto veículos automotores.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email