Ranking dos políticos tem apenas quatro da bancada amazonense

Apenas quatro dos 11 parlamentares da bancada amazonense no Congresso apresentaram “nota verde” (acima dos 50 pontos) na edição mais recente do “Ranking dos Políticos”. A lista inclui, na ordem, o senador Plínio Valério (PSDB-AM) e os deputados federais Delegado Pablo (PSL-AM), Sidney Leite (PSD-AM) e Capitão Alberto Neto (Republicanos). Os quatro apresentaram pontuações ficaram, respectivamente, na 16ª (110 pontos), 56ª (93 pontos), 88ª (80 pontos) e 94ª (78 pontos) posições na classificação geral.

Compilado pelo site Políticos.org, o ranking levou em conta a qualidade legislativa dos 513 deputados e 81 senadores de todo o país, levando em conta fatores como presença nas sessões, gastos de recursos da cota parlamentar, processos judiciais, formação e fidelidade partidária, além de votos favoráveis “em projetos de interesse da sociedade”. Parlamentares ouvidos pelo Jornal do Commercio apontam, contudo, que os critérios utilizados são fortemente ideológicos.

Só um político amazonense aparece na faixa amarela e intermediaria do ranking, de zero a 50 pontos: o deputado federal Bosco Saraiva (Solidariedade-AM). Os demais figuram com “notas vermelhas”, começando pelos deputados Marcelo Ramos (PL-AM), José Ricardo (PT-AM) e Átila Lins (PP) – os três com pontuações negativas de 3 (414º lugar), 4 (417º) e 5 (421º), respectivamente. A lista passa ainda pelos senadores Eduardo Braga (PSDB-AM) e Omar Aziz (PSD-AM) – um com -21 (468º) e outro com -101 (570º), e culminando com o deputado Silas Câmara (Republicanos-AM) – com -125 pontos e na 576ª posição.

Cotado como o sexto melhor no Senado, o senador Plínio Valério (PSDB-AM) reforça, em texto de sua assessoria de imprensa, que avançou oito posições em relação a sua marca anterior (14º). E também lembra que, no computo geral de ambas as casas legislativas, pulou da 85ª para a 19ª posição, empatado com o senador Jorginho Melo (PL-SC) e o deputado Kim Kataguiri (DEM-SP). 

“Vamos em frente, enfrentando temas espinhosos, como a Zona Franca de Manaus, a recuperação da rodovia BR-319 [Manaus-Porto Velho]. E botando a cara a tapa para defender a preservação da Amazônia, mas também o direito de seus habitantes de usar as riquezas que Deus deu a essa gente para progredir e melhorar os indicadores sociais, que são muito ruins”, comemorou Plínio Valério. O senador atualmente integra 13 comissões na casa legislativa, conforme dados extraídos do site do Senado.

“Pontuação ideológica”

Procurado pelo Jornal do Commercio, o deputado federal Marcelo Ramos disse que não conheço “esse ranking” e salientou que, em todos as listagens “sérias”, seu trabalho é reconhecido”. De acordo com o parlamentar, os critérios utilizados para a cotação dos políticos é baseada mais na forma como estes se posicionam, do que nas presenças em comissões e produção legislativa. 

“É irrelevante. Ninguém leva a sério um ranking que não avalia o resultado do trabalho do deputado, mas faz pontuação ideológica pelos votos. Não dou atenção pra isso. Todos que fazem avaliações sérias destacam meu trabalho. Da pontos pra quem vota as matérias que eles concordam e tiram pontos de quem vota contra. Isso é ridículo”, desabafou. 

De acordo com o site da Câmara, Ramos aparece como autor de 96 propostas legislativas e 192 votações em plenário e presença em 75 comissões, neste ano. Sua assessoria de imprensa aponta, por exemplo, que o parlamentar foi eleito entre os 100 “Cabeças do Congresso”, ranking elaborado todos os anos Diap (Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar), além de ter vencido o prêmio “Congresso em Foco” de 2019. 

“Site tendencioso”

Na mesma linha, o deputado federal José Ricardo (PT-AM) assinala que o site pertence a “um grupo de direita” e que todos os parlamentares no espectro político oposto aparecem com avaliações negativas. Na avaliação do parlamentar, o site é “totalmente tendencioso” e não conta com nenhum respaldo, equilíbrio ou imparcialidade.

“Toda vez que você vota contrário em um projeto que o site defende, eles te colocam com um conceito para baixo. Pode ver que isso acontece, todos os anos, com todos os políticos mais atuantes de esquerda. No ano passado, fui o parlamentar que mais me pronunciei na tribun e mais apresentei proposituras, além de me posicionar a favor da população.Mesmo assim, me colocaram para baixo. Como votei a favor do povo e contra a Reforma da Previdência, me avaliaram mal”, argumentou.

O politico aparece com 327 propostas legislativas de sua autoria, participação em 176 votações nominais e 14 discursos em plenário, presença em dez dias no plenário e em 66 reuniões de comissões, conforme dados extraídos do site da Câmara dos Deputados. 

“Bons projetos”

De acordo com o site “Políticos”, o conselho de avaliação para o ranking pontua o apoio e o voto favorável a aprovação de leis que tratam principalmente do combate à corrupção, aos privilégios e ao desperdício de recursos públicos. As pontuações extras são fruto de alguma iniciativa relevante não prevista nos demais critérios. Parlamentares que assinam “bons projetos”, mesmo que não consigam o mínimo possível de assinaturas para a discussão também são bem cotados. Da mesma forma, podem perder pontos por conta de “algum fato importante que não se enquadre nos critérios”. 

“O ranking existe para ajudar na avaliação dos senadores e deputados Federais. Medimos a atuação dos parlamentares no combate à corrupção, aos privilégios e ao desperdício da máquina pública. Somos independentes e sem ligação com partidos ou grupos de interesse”, assinala o site, em texto postado em seu domínio”, encerrou o texto postado no site.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email