Ramos vai propor audiência para discutir o aumento

Marcelo Ramos recomendou ainda, que a próxima administração enfrente com firmeza a tentativa equivocada de aumentar a tarifa de ônibus. “Espero que a nova administração tenha a capacidade de enfrentar esse problema nos termos corretos”, considerou

O presidente da Comissão de Transporte e Mobilidade Urbana da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), deputado estadual Marcelo Ramos (PSB), disse que vai agendar com o governo do Estado, no início do próximo ano, audiência pública para debater tecnicamente a possibilidade de aumento da tarifa de ônibus em Manaus, a fim de refletir sobre a estratégia dos empresários do sistema de transporte coletivo, a insistência do aumento, como única alternativa para a melhoria do sistema a revisão da tarifa, a qual considerou um grave equívoco.
“Hoje, o preço da passagem de ônibus em Manaus custa R$ 2,75”, disse o parlamentar, insistindo que não é uma das mais caras e nem mais baratas do Brasil, citando a cidade de Belo Horizonte (MG), que tem praticamente a mesma tarifa que Manaus, “no entanto aqui, 20% dos usuários pagam somente a metade da passagem, já em Belo Horizonte todos pagam a tarifa integral”, esclareceu o deputado, observando que estudantes de Belo Horizonte não pagam meia passagem.
“Outro exemplo é Belém (PA) que tem tarifa em números absolutos menores a tarifa de Manaus”, observou Marcelo Ramos, lembrando que na capital do Pará não existe integração física e temporal de ônibus. Segundo Marcelo Ramos, o comparativo dos valores das tarifas e os benefícios agregados a ela, serão para averiguar a tarifa efetivamente paga na média entre a quantidade de usuários e o valor arrecadado pelo sistema.
Durante o levantamento preliminar de informações sobre a questão da tarifa, um número chamou atenção do parlamentar, que aponta que a tarifa equivalente à quantidade de passageiros estipulados pelo preço definido em R$ 2,75 é de aproximadamente R$ 17 milhões de passagens por mês. “Comparando a quantidade de passageiros equivalentes antes e depois do aumento para R$ 2,75, verifiquei que o sistema perdeu em média 700 mil passagens por mês, pelo aumento do preço da passagem para R$ 2,75”, calculou ele, dizendo que o aumento simboliza um grave equívoco da lógica dos empresários do setor, de que vão resolver os seus problemas aumentando a passagem do transporte coletivo.
Convencido de que o sistema não suporta um novo reajuste, Marcelo Ramos recomenda que o diálogo entre os empresários e a Prefeitura Municipal de Manaus (PMM) deve ser no sentido de diminuir os custos operacionais, a concorrência predatória com o mecanismo de transporte clandestino, e, principalmente, buscar alternativas para melhorar a velocidade média da frota. “Para isso, são necessárias obras de infraestrutura e decisão político-social de priorização do transporte coletivo, com sinalização inteligente para os ônibus, em especial os ônibus articulados”, apontou.
Marcelo Ramos recomendou ainda, que a próxima administração enfrente com firmeza a tentativa equivocada de aumentar a tarifa de ônibus. “Espero que a nova administração tenha a capacidade de enfrentar esse problema nos termos corretos”, considerou.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email