Quarta edição da Fiam vai custarde R$ 6,1 mi

A quarta edição da Fiam (Feira In­ter­­nacional da Ama­zônia) custará R$ 6,1 mi­lhões aos cofres da Suframa (Superintendência da Zona Franca de Manaus), que conta apenas com recursos próprios para a realização do evento. Esse valor foi anunciado nesta terça-feira pela superintendente da Zona Franca, Flávia Grosso, durante coletiva para apresentar a feira, que este ano acontecerá no período de 10 a 13 de setembro.
De acordo com a supe­rintendente, a feira cresceu em número de eventos em relação aos outros anos, mas o valor dos recursos investidos na organização não sofreu muitas mudanças. Flávia explicou que os eventos da Fiam neste ano estão baseados em quatro vertentes: o co­nhecimento, com a Jornada Internacional de Seminários, os quase produtos, expostos na 2ª Mostra de Trabalhos Técnico-Científicos, os quase negócios do Salão de Projetos e Investimentos e, por fim, o mercado, com a exposição dos produtos.
“Com essas bases fechamos o ciclo na Fiam, iniciando com produção e sistematização dos conhecimentos gerados na região, passando pelo processo de implantação dos projetos até chegarem como produto final no mercado”, explicou. Ela lembrou que entre os objetivos da feira está a geração de oportunidade de atração de investimentos e a realização de eventos de natureza técnico-científica ou de relevância para a região.
A exposição dos produtos é um dos destaques da feira, que contará este ano com 162 estandes e 300 expositores, entre indústrias, empresas de serviços, produtores regionais, instituições de ensino, pesquisa e desenvolvimento, institutos privados de tecnologia, entidades de classe, representantes de governos e organismos internacionais.
Pela segunda vez será montado o anexo da feira, que consiste em uma tenda de 1.000 metros quadrados para abrigar parte dos expositores. Na parte da feira estarão, principalmente, órgãos oficiais do governo do Estado e produtores rurais do interior do Amazonas.

Autarquia espera cerca de 2,5 mil visitantes

Outro evento de destaque será a Jornada Internacional de Seminários, que de­baterá assuntos relacionados à região amazônica, como ­mineração, energias alternativas, preservação ambiental entre outros. Serão 16 ­seminários coordenados pela Suframa em conjunto com outros 32 parceiros, como o Piatam e o Instituto Nokia. A autarquia espera apro­ximadamente 2.500 pessoas, entre empresários, técnicos públicos e privados, professores, estudantes e pesquisadores das diversas universidades da região.
Ao todo estão programados 17 eventos que fazem parte da feira, entre os oficiais, encontros paralelos -como as reuniões do CNT (Conselho Nacional de Turismo) e a do CAS (Conselho de Administração da Suframa), que debaterá extraordinariamente a mudança do período de realização da feira. “Hoje elas acontecem bianualmente em anos pares, o problema é que sempre cai no mesmo período de eleições. Nosso objetivo é realizar a 5ª Fiam em 2009 e então voltar a realizar a cada dois anos”, disse Flávia.
A expectativa de público para os quatros dias de feira é de cem mil pessoas, e a autarquia já confirmou a participação de oito Estados brasileiros nos estandes e nas rodadas de negócios. Já os países serão 31, com delegações, palestrantes, convidados especiais e participantes das rodadas de negócio. As Américas, África, Ásia e Europa serão representados, com destaque especial para Portugal e Itália, que participarão do evento pela primeira vez.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email