25 de fevereiro de 2021

A gestão do tempo impacta diretamente no desenvolvimento do trabalho e, consequentemente, maximiza a sua produtividade e melhora o seu resultado. Como diz Victor Hugo: “A vida já é curta e nós a encurtamos ainda mais desperdiçando o tempo.” 

Qual o valor do tempo? Pergunta de resposta subjetiva, que podemos exemplificar da seguinte forma: Quanto vale um ano? Para entender o valor de um ano, pergunte ao estudante que foi reprovado. Para entender o valor de um mês, pergunte à mãe que teve um bebê prematuro. Para entender o valor de uma semana, pergunte ao editor de um jornal semanal. Para entender o valor de uma hora, pergunte aos amantes que estão esperando para se encontrar. Para entender o valor de um minuto, pergunte a alguém que perdeu o trem, o ônibus ou avião. Para entender o valor de um segundo, pergunte ao sobrevivente de um acidente. Para entender o valor de um milésimo de segundo, pergunte a alguém que ganhou a medalha de prata nos Jogos Olímpicos.

Mitos em relação à gestão do tempo

  1. Quem administra o tempo se torna escravo dele 

A verdade é que quem administra o tempo coloca-o sob controle, torna-se senhor dele. Quem não o administra é por ele dominado, pois acaba fazendo as coisas ao sabor das pressões do momento, não na ordem e no momento em que desejaria.

Esse mito se alimenta do fato de que muitas pessoas que tentam administrar o tempo acreditam (pelo menos no início) que é possível programar 100% do seu tempo. Administrar o tempo, para elas, é como vestir uma camisa de força e não mais tirá-la. A verdade é que administrar o tempo não é programar a vida nos mínimos detalhes: é adquirir controle sobre ela. 

  1. Só se trabalha melhor, ou se produz mais, sob pressão

Esse é um mito criado para racionalizar a preguiça, a indecisão, a tendência à procrastinação. Não há evidência que o justifique, até porque os que assim agem poucas vezes tentam trabalhar sem pressão para comparar os resultados – sobre si mesmos e sobre os que os circundam.

  1. Administrar o tempo serve apenas na vida profissional

Falso. É de certo que há muitas coisas em nossa vida pessoal e familiar que reconhecemos desejar ter mais tempo para fazer mais certas atividades ou lamentamos pelo fato de não termos mais tempo para nada além do trabalho. Para isso, assim como você planeja seu trabalho para ser mais produtivo, planeje também seu final de semana para que seja mais proveitoso e divertido ao lado de sua família.

  1. Ter tempo é questão de querer ter tempo 

Verdade… de certo modo. Normalmente damos um jeito de arrumar tempo para fazer aquilo que realmente queremos fazer. Mas a afirmação não diz tudo. Não basta simplesmente querer ter tempo para ter tempo. É preciso também querer o meio indispensável de obter mais tempo – e esse meio é a administração do tempo.

Para uma boa gestão do tempo

Entender como você organiza o seu tempo hoje; Conhecer o tipo de problema que confrontamos;  Identificar as fontes desse problema; Definir o método de utilização do tempo.

Mas como controlamos melhor o nosso tempo? O primeiro passo é mensurar até aonde você consegue controlar o seu tempo disponível atualmente.

Enquanto profissional, a gestão do tempo otimiza o planejamento de atividades, visto que, ao listar e visualizar o que tem que ser feito, torna-se possível controlar melhor as demandas e cumprir horários e prazos com sucesso. 

Além disso, a gestão do tempo possibilita antecipar atividades, definir o grau de importância dessas atividades, focar esforços com maior efetividade, gerenciar melhor o estresse, reagir com maior prontidão a eventos inesperados. Uma sugestão é aproveitar melhor o tempo para desenvolvimento pessoal (leituras, reciclagens, lazer, etc).

Estabeleça Prioridades 

O estabelecimento de prioridades é um processo de compreende duas etapas distintas: 1.  Crie uma lista das tarefas que você necessita realizar (sejam elas corriqueiras ou não) 2.  Ordene-as por prioridade (Sistema ABC de prioridades)

Sistema ABC de Prioridades – A: É aquela tarefa que precisa ser feita imediatamente, pois é de importância crítica. Prioridade B: É aquela tarefa que é importante, mas que não precisa ser feira imediatamente. É importante, mas menos sensível ao prazo. Prioridade C: É aquela que não existe urgência, mas que deve ser feita.

Desperdiçadores de Tempo

Listo alguns desperdiçadores de tempo: Desorganização, visitas, procrastinação, telefonemas, incapacidade de dizer “Não”, e-mails sem importância, esperas desnecessárias, reunião não-produtivas, perfeccionismo desnecessário, conversas paralelas, conversas demoradas durante o café, relatórios sem utilização prática, entre outros. Verifique quais desperdiçadores de enquadram em seu estilo e aja para que eles sejam hábitos eliminados.

Boa semana!

Fiquem todos com Deus!

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email