PSDB movimenta peças no tabuleiro político para as eleições 2022

Partidos já trabalham articulações para as eleições majoritárias do próximo ano no Amazonas. E as filiações e desfiliações de futuros potenciais candidatos vêm acontecendo em nível de bastidores, de acordo com as conveniências e as estratégicas políticas de cada agremiação.

Ontem, o senador Plínio Valério (PSDB-AM) anunciou, oficialmente, que não tem mais interesse em continuar na direção da executiva regional do partido. Seria o primeiro prenúncio de que os partidos costuram novas alianças no Estado já de olho no pleito de 2022, segundo analistas e cientistas políticos.

Plínio Valério encaminhou ofício, nessa segunda-feira (24), ao presidente do PSDB no Estado, o ex-prefeito Arthur Neto, comunicando a sua decisão. O anúncio aconteceu horas depois de o partido tucano anunciar a filiação do vice-governador Carlos Almeida Filho, hoje um desafeto declarado do atual governador do Estado, Wilson Lima (PSC).

Plínio Valério disse que deixa a executiva regional, mas continua ainda no partido. E que a filiação de Carlos Almeida acontecer logo após o anúncio de sua decisão foi uma mera coincidência.

“É uma coincidência. Veja bem. O Arthur Neto vai filiar outros, quem ele quiser. Como eu não estou participando dessas filiações, não tenho por que está participando”,  afirmou.  O senador ressaltou que o ex-prefeito pode ficar à vontade para cooptar novos filiados. “Não estou a fim de filiar pessoas no partido e o Arthur está. E ele tem todo direito, pois é presidente regional do partido. Ele tem todo direito de fazer isso e eu tenho todo direito de não me envolver nisso”, explicou.

O senador disse também que tem uma vida muito atribulada no Senado. E seria difícil, portanto, conciliar tantas tarefas ao mesmo tempo na direção da executiva regional e com a sua atuação parlamentar no Congresso Nacional.

Segundo analistas, Arthur Neto, que comanda o PSDB regional desde o início de maio, tem como meta fortalecer e ampliar a base tucana no Amazonas, visando às eleições  do próximo ano. Essa iniciativa acontece com o apoio da executiva nacional que teria autorizado a filiação do vice-governador Carlos Almeida Filho.

Articulação

O vice-governador se filia à legenda no momento em que o STJ (Superior Tribunal de Justiça) avalia um recurso movido pela PGR (Procuradoria Geral da República) contra Wilson Lima. E ministros da Corte ressaltam que será difícil manter o governador no cargo se forem aceitas as denúncias sobre o caso envolvendo a compra de ventiladores durante a pandemia de coronavírus. Lima diz-se vítima de uma campanha da oposição para prejudicar o seu governo e que tem provas suficientes para anular a ação.

Carlos Almeida foi eleito em 2018, como vice de Wilson Lima, pelo PRTB. E até ontem  estava sem partido, filiando-se agora ao PSDB do ex-prefeito Arthur Neto que desenha suas estratégias para vencer o pleito de 2022.

Arthur Neto critica a atual gestão do governo do Estado, abalada com a pandemia que deixou milhares de mortes no Amazonas. “Precisamos mudar esse estado de coisas que culminou com essa tragédia no Estado”, afirmou.

Arthur Neto governou Manaus de 2012 a 2020. No entanto, na última Eleição não disputou cargo político e nem tampouco garantiu seu apoio à chapa vencedora, liderada por David Almeida (Avante) e Marcos Rotta (DEM).

No primeiro turno, o tucano insistiu em apostar em Alfredo Nascimento, ex-prefeito de Manaus e ex-ministro dos Transportes nos governos do PT.

No segundo turno, o tucano declarou apoio ao ex-governador do Amazonas, Amazonino Mendes (Podemos), que tinha como vice o deputado estadual Wilker Barreto (Podemos), em chapa puro-sangue.

Foto/Destaque: Divulgação

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email