Proposta do Sinetram fadada ao fracasso

A proposta de reajuste da tarifa do transporte coletivo em R$ 3,50, feita pelo SINETRAM (Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Manaus), está fadada ao fracasso, garantiu ontem ao Jornal do Commercio o vereador Dr. Gomes (PSD). Ele acredita que a tarifa será rechaçada na Comissão de Transporte da Câmara Municipal que ouvirá nesta sexta-feira (22) o presidente da SMTU (Superintendência Municipal de Transporte Urbano), Pedro Carvalho. O superintendente vai esclarecer aos vereadores a planilha em que o Sinetram se embasou para formular sua proposta.
“Os empresários querem um valor muito alto que o povo de Manaus não pode pagar. É absurdo o povo pagar R$ 3,50 de tarifa para andar em ônibus cacarecos, cheios de defeitos, sem condições de transportar ninguém de um ponto a outro da cidade com dignidade. O pior é que quase 50% da frota está sucateada, comprometida mesmo”, desabafou Dr. Gomes.
Segundo ele, o reajuste da tarifa poderá ocorrer, mas considerando o salário mínimo. “É necessário um reajuste, mas acompanhando o percentual do salário mínimo. Enquanto vereador, vou resistir ao aumento da forma como os empresários apresentam. Vou votar contra a tarifa de 3,50. O trabalhador humilde não recebe salário mínimo compatível com o reajuste que os empresários desejam para o transporte coletivo”, destaca ele, dando razão ao prefeito Arthur Neto (PSDB), que qualificou de “graciosa” a proposta do Sinetram.
Gomes informou que a COMTVOP/CMM (Comissão de Transporte, Viação e Obras Públicas da Câmara Municipal) deverá receber nesta sexta-feira o presidente da SMTU, Pedro Carvalho, para esclarecer a real situação da planilha de custo expedida pelo Sinetram e explicar o aumento da tarifa de ônibus de R$ 2,75 para R$ 3,50.
“A planilha será avaliada pela Comissão de Transporte, que é a instância política adequada para isso. Depois, a matéria será encaminhada ao plenário onde votaremos contrariamente. O prefeito Arthur tem razão em resistir ao aumento abusivo”, disse Gomes.
A Comissão de Transporte da CMM, presidida pelo vereador Rosivaldo Cordovil (PTN), avaliará hoje a questão, mas a decisão sobre a majoração ou não da tarifa só sairá depois de audiência pública marcada para 1º de abril. “Vamos discutir também sobre o transporte público em Manaus e a melhoria na qualidade dos serviços”, ressaltou o presidente da COMTVOP.
Na avaliação do parlamentar, o aumento da tarifa, com base na proposta do Sinetram, é inviável. Ele justifica que o transporte coletivo não oferece qualidade nos serviços aos usuários. O vereador destaca ainda, que os terminais e as paradas de ônibus também não oferecem condições dignas à população. “E as poucas paradas que existem precisam ser recuperadas”, criticou Cordovil.

Audiência Pública

Rosivaldo Cordovil confirmou a Audiência Pública para o dia 1º de abril, a qual será chave sobre a matéria. Participarão da audiência o prefeito Arthur Neto (PSDB), o presidente da SMTU, Pedro Carvalho; diretor de Transporte, Waldir Frazão; representante do Ministério Público do Estado (MPE/AM), Francisco Cruz; representantes do Sinetram; representantes da Corecon/AM (Conselho Regional de Economia); coordenador da UGP (Unidade Gestora do Projeto Copa); presidente da Comissão de Transportes da Assembleia Legislativa do Amazonas, deputado Marcelo Ramos (PSB); representantes do Sindicato dos Jornalistas, o titular da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf), Hyssa Abrahão e representante do Sindicato dos Rodoviários e das empresas de transporte público.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email